Leia também:
X Bebê ferido em SC recebe cartaz de apoio: “Você é um guerreiro”

RJ: Castro defende atuação da polícia em ação no Jacarezinho

Governador afirmou que a ação foi fruto do "fiel cumprimento de dezenas de mandados expedidos pela Justiça"

Paulo Moura - 08/05/2021 09h15 | atualizado em 08/05/2021 09h30

Governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro Foto: Governo RJ/Rafael Campos

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), defendeu a atuação da Polícia Civil durante a operação na favela do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, na quinta-feira (6). Em um vídeo divulgado na tarde desta sexta-feira (7), o governador disse que a ação foi fruto do “fiel cumprimento de dezenas de mandados expedidos pela Justiça”.

– A reação dos bandidos foi a mais brutal registrada nos últimos tempos. Armas de guerra prontas para repelir a ação do Estado e evitar as prisões a qualquer custo. Em nenhum lugar do mundo a polícia é recebida com fuzis e granadas, quando vai cumprir seu papel – disse.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Cláudio Castro (@claudiocastrorj)

Castro afirmou ter determinado “total transparência ao processo” de investigação do caso, e disse ter falado sobre a operação com o procurador-geral da República, Augusto Aras, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, o procurador-geral de Justiça do Rio, Luciano Mattos, e o defensor-geral do Estado, Rodrigo Pacheco.

– O governo do Estado é o maior interessado em apurar as circunstâncias dos fatos – completou.

*Estadão

Leia também1 Garcia sobre Jacarezinho: 'Estão apoiando bandido e contra a lei'
2 PGR dá 5 dias para autoridades 'explicarem' ação policial no RJ
3 Polícia Civil atualiza para 28 o nº de mortos no Jacarezinho
4 RJ: PSB quer investigação sobre operação no Jacarezinho
5 Policial contou histórias para crianças durante ação no Jacarezinho. Veja o vídeo!

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.