Leia também:
X Extradição de Allan dos Santos depende do Ministério da Justiça

Renan celebra ordem de Moraes para prender Allan dos Santos

Relator da CPI da Covid disse que 'é a primeira prisão de um dos indiciados da CPI'

Henrique Gimenes - 21/10/2021 17h00 | atualizado em 21/10/2021 18h01

Senador Renan Calheiros Foto: EFE/Joédson Alves

Nesta quinta-feira (21), o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid, utilizou as redes sociais para celebrar a decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), de mandar prender o jornalista Allan dos Santos. De acordo com Calheiros, é a “primeira prisão de um dos indiciados da CPI”.

A decisão de Moraes atende a uma solicitação da Polícia Federal (PF). Além da prisão, outras medidas determinadas pelo ministro são a inclusão do nome do jornalista na lista da Difusão Vermelha da Interpol e que o Ministério da Justiça inicie o processo de extradição, já que Allan dos Santos está nos Estados Unidos.

Allan é alvo de dois inquéritos no STF: um que investiga a suposta divulgação de fake news e ataques a ministros da Corte e um outro que aponta a possível atuação de uma “milícia digital” que estaria conspirando contra a democracia.

Ao falar sobre a ordem de prisão, Renan afirmou que fake news também matam muitos brasileiros.

– Apoiamos a prisão e a extradição do Allan dos Santos, determinadas pelo ministro Alexandre de Moraes. É a primeira prisão de um dos indiciados da CPI. Fake news, como sustentamos no relatório, também matou [sic] muitos brasileiros – escreveu o senador.

Leia também1 CPI: Marcos Rogério apresenta relatório e 'mira' governadores
2 Em evento, Jair Bolsonaro elogia Alcolumbre e critica Renan
3 Veja os próximos passos da CPI após a leitura do relatório final
4 CPI: Senadores pressionam Aras sob ameaça de impeachment
5 Senadores do G7 apontam que Renan “rifou” colegas na CPI

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.