Leia também:
X Estados não exigirão prescrição médica para vacinar crianças

Rede aciona o STF para mandar governo vacinar crianças

Ação ficará sob responsabilidade do ministro Ricardo Lewandowski

Paulo Moura - 24/12/2021 15h00 | atualizado em 24/12/2021 15h22

Ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal Foto: STF/Nelson Jr

O partido Rede Sustentabilidade ingressou, nesta sexta-feira (24), com um pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar obrigar o governo federal a disponibilizar a vacinação contra a Covid-19 a crianças de 5 a 11 anos “independentemente” de prescrição médica.

O pedido foi distribuído para o ministro Ricardo Lewandowski, que é o relator da ação que discutiu o Plano Nacional de Imunização. Lewandowski foi um dos ministros do STF que informou que continuaria trabalhando durante o recesso da Suprema Corte.

De acordo com a sigla, o Ministério da Saúde estaria adotando ações que “colocam em risco os direitos da criança e do adolescente”. Para justificar sua alegação, o partido menciona a exigência de um comprovante médico para a vacinação de crianças, além da consulta pública aberta pela pasta.

A Rede ainda acusa o governo de ter a intenção de “boicotar” a vacinação infantil, causando o risco de atingir a imunização contra outras doenças.

– Nesse momento, o alvo é a vacina contra o coronavírus; daqui a pouco, será que pretenderão desacreditar as vacinas contra poliomielite, hepatite, gripe, febre amarela, etc.? O futuro pode sempre surpreender; e, infelizmente, a surpresa não parece ser a melhor – completa o partido, na ação.

Leia também1 Estados não exigirão prescrição médica para vacinar crianças
2 Anvisa diz que vacina infantil passou por rigorosa avaliação
3 Novo chuveirão da Havan em praia de SC sofre vandalismo
4 AM: 77% dos desembargadores ganharam mais de R$ 100 mil em novembro
5 Rio: Paes afirma que não exigirá atestado para vacinar crianças

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.