Leia também:
X Veja o vídeo: Renan e Randolfe já trocaram acusações no Senado

Randolfe quer medidas contra juíza que chamou CPI de circo

Pedido do senador foi aceito pelo presidente da CPI da Covid, Omar Aziz

Henrique Gimenes - 06/10/2021 15h39 | atualizado em 06/10/2021 17h11

Cúpula da CPI da Covid Foto: Agência Senado/Edilson Rodrigues

A manifestação de uma juíza do Rio de Janeiro que relacionou a CPI ao circo deixou os integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid “agitados”. Em suas redes sociais, o vice-presidente do colegiado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que a magistrada “terá que se explicar sobre as falas” a respeito da comissão.

O comentário foi feito pela juíza Elizabeth Machado Louro durante a fase preliminar do julgamento do assassinato de Henry Borel nesta quarta-feira (6). A manifestação foi uma maneira dela de conter o embate entre o promotor e a advogada de um dos réus.

– Aqui não é CPI. Aqui, a gente está para ouvir a testemunha. Isso aqui não vai virar circo! – disse a juíza.

Durante sessão da CPI da Covid-19, Randolfe disse que qualquer pessoa pode se manifestar como quiser, menos uma magistrada durante um julgamento. Ele explicou que um posicionamento do tipo “fere flagrantemente a lei orgânica da magistratura”.

– A senhora magistrada, procure começar a trabalhar, a cumprir o serviço. Tem muito grupo miliciano lá no Rio de Janeiro para ela apurar crimes e colocar na cadeia, ao invés de fazer de suas sessões o verdadeiro circo […] Eu queria requerer à vossa excelência que a direção dessa CPI solicitasse informações à Corregedoria do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, à Corregedoria do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e ao Conselho Nacional de Justiça – apontou Randolfe.

O pedido foi acatado pelo presidente da CPI, Omar Aziz, que disse que o colegiado vai acompanhar a solicitação. Randolfe então apontou que o posicionamento da magistrada é um “ato orquestrado”.

– A manifestação dessa magistrada no Rio de Janeiro não é um ato à toa. É um ato orquestrado por falanges cúmplices dos crimes que foram cometidos nessa pandemia, porque a única instituição que está funcionando e funcionou nesse Brasil para apurar os crimes na pandemia foi essa CPI – apontou.

Leia também1 Juíza do caso Henry: "Aqui não é CPI. Isso não vai virar circo!"
2 Veja o vídeo: Renan e Randolfe já trocaram acusações no Senado
3 CPI: Girão apresentará relatório independente ao de Calheiros
4 Bancada do PSOL quer ‘CPI do Paulo Guedes’ na Câmara
5 Aziz ironiza tratamento precoce: 'Não vi médico citado no Nobel'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.