Leia também:
X Barroso sobre CPI: Acusações são ‘mais políticas do que jurídicas’

Queiroga: “Não sou comentarista de relatório. Eu sou ministro”

Ministro afirmou ter sensação de "dever cumprido" no combate à pandemia

Pierre Borges - 20/10/2021 15h27 | atualizado em 20/10/2021 18h41

Ministro da Saúde Marcelo Queiroga Foto: PR/Clauber Cleber Caetano

Nesta quarta-feira (20), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que não é “comentarista de relatório”, ao ser questionado por jornalistas a respeito dos crimes que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid o acusa de ter cometido.

– Eu não comento relatório. Eu não sou comentarista de relatório. Eu sou ministro da Saúde. E, como ministro, eu cuido da saúde pública da população. Veja os números. Eles falam por si só. Não adianta vocês ficarem repetindo as mesmas perguntas. Eu sou ministro, e a minha função é salvar a vida do povo brasileiro, não só afetado pela Covid – declarou.

Ao ser perguntado sobre os depoimentos de familiares de vítimas da Covid-19 na CPI, o ministro disse que “as questões políticas são políticas”, mas que tem a sensação de “dever cumprido”.

– Nós temos a sensação do dever cumprido, porque nós salvamos milhares e milhares de pessoas. Vocês vejam que o Ministério da Saúde fez uma campanha que vem conseguindo reduzir, nesse pico da variante Gama, fortemente o número de óbitos. Chegamos a quatro mil óbitos, e hoje nós temos uma média móvel que cai de maneira sustentada – disse.

O relatório da CPI, escrito por Renan Calheiros, pede que Queiroga seja indiciado por epidemia com resultado de morte e prevaricação.

– Meu foco tem que ser as questões sanitárias. Essas questões políticas são políticas. Vocês, jornalistas, conhecem mais do que eu – concluiu Queiroga.

Leia também1 Barroso sobre CPI: Acusações são 'mais políticas do que jurídicas'
2 CPI: Barros processará senadores que votarem a favor do relatório
3 Líder do governo afirma que não houve ato "doloso" do presidente
4 Ricardo Barros afirma que irá processar Renan Calheiros e Aziz
5 São Paulo avalia uso obrigatório de máscara após a pandemia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.