Leia também:
X ‘É preciso botar um ponto final’ no ‘câncer’ no TSE, diz Bolsonaro

Queiroga diz que passaporte de vacinação não ajuda em nada

Ministro deu declarações nesta sexta-feira

Ana Luiza Menezes - 27/08/2021 18h33 | atualizado em 27/08/2021 18h54

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga Foto: Agência Senado/Geraldo Magela

Nesta sexta-feira (27), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se manifestou contra o passaporte de vacinação, que será adotado em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. Durante um evento na capital fluminense, Queiroga disse a jornalistas que a medida “não ajuda em nada”.

O ministro também defendeu a liberdade dos cidadãos.

– Passaporte não ajuda, não ajuda em nada. Tudo que é imposição, que é lei… o Brasil já tem um regulamento sanitário que é um dos mais avançados do mundo. E essas matérias, elas são matérias administrativas. O certificado de vacinação está lá, qualquer um pode pegar. E você começar a restringir a liberdade das pessoas, exigir um passaporte, carimbo, querer impor por lei uso de máscaras pra tá multando as pessoas, indústria de multa, nós somos contra isso – declarou.

O prefeito Eduardo Paes (PSD) anunciou, nesta sexta-feira, o passaporte, que terá de ser apresentado por cariocas e turistas. Para Queiroga, a medida é “descabida”.

– O povo brasileiro é livre e nós queremos que as pessoas exerçam de acordo com sua consciência. Eu uso máscara porque entendo que é importante, você também, não é porque tem uma lei que se você não usar mascara alguém vai lhe multar – completou o ministro.

Leia também1 Covid: País tem mais de 2,9 mil municípios sem mortes em 24h
2 Paes impõe passaporte sanitário para acesso a estabelecimentos
3 Covid: Defeito do sistema imune é causa de 20% das mortes
4 Rio: Avanço da variante Delta adia reabertura de atividades
5 Cientistas dizem que busca pela origem da Covid está paralisada

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.