Leia também:
X Corte de energia volta a valer para famílias de baixa renda

“Quando invadirem sua casa, dá tiro de feijão”, ironiza Bolsonaro

Presidente criticou a esquerda por comparar a aquisição de armas à compra de feijão

Paulo Moura - 01/10/2021 12h15 | atualizado em 01/10/2021 12h27

Presidente Jair Bolsonaro Foto: PR/Alan Santos

O presidente Jair Bolsonaro voltou a ironizar, nesta sexta-feira (1°), as críticas feitas por opositores a respeito de suas falas sobre a flexibilização da compra de armas pela população. A apoiadores em frente ao Palácio do Planalto, Bolsonaro rebateu falas da esquerda como a de que o povo “não come arma, come feijão”.

– Esquerda fala que a gente não come arma, come feijão. Quando alguém invadir sua casa, dá tiro de feijão – disse.

O presidente afirmou também que o estado de Santa Catarina é o mais armado e o menos violento do país e declarou que “quanto mais armas, menos violência”. Por fim, o líder ainda saiu em defesa do atual entendimento do marco temporal em relação às terras indígenas.

– Estão querendo derrubar o marco temporal. Acaba o Brasil. Vai faltar comida para o resto do mundo. Se tivessem motivo para criticar meu governo, tudo bem, mas não têm – completou.

Leia também1 Marcos Rogério chama CPI da Covid-19 de "gabinete do ódio"
2 Temer desmente que Bolsonaro ligou 'aos prantos' para Moraes
3 Antes de jantar com Mandetta e Doria, Moro se reuniu com o MBL
4 Eduardo Bolsonaro vai processar a Globo por divulgação de dados sigilosos
5 Ex-marido vai buscar Andressa Urach com a polícia em boate

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.