Leia também:
X Eduardo Bolsonaro rebate Moro: ‘Não tem moral nenhuma’

PT quer crianças de 5 a 11 anos vacinadas até o início das aulas

Legenda pede que governo federal faça alteração no plano de imunização contra a Covid

Paulo Moura - 18/12/2021 16h22 | atualizado em 19/12/2021 14h52

PT quer que crianças sejam vacinadas antes do início das aulas de 2022 Foto: Prefeitura do Rio/Ricardo Cassiano

No pedido que fez ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o governo federal apresente um plano de vacinação para crianças de 5 a 11 anos de idade, o Partido dos Trabalhadores (PT) solicitou que a gestão federal promova a vacinação infantil antes do início das aulas do próximo ano. O relator da ação é o ministro Ricardo Lewandowski.

A legenda alega que o governo federal precisa apresentar uma complementação ao atual plano nacional de vacinação, para incluir as crianças entre o público-alvo, por conta da autorização dada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a imunização da faixa etária entre 5 e 11 anos com a vacina da Pfizer.

Além da vacinação de crianças, o partido solicitou na mesma ação a previsão de um dia nacional (Dia D) para vacinação, “ou mesmo a designação de possíveis datas para a realização de grandes mutirões de incentivo e vacinação”.

Na sexta-feira (17), o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu 48 horas para o governo federal se manifestar sobre o pedido do PT. Apesar do calendário de 2021 da Suprema Corte ter se encerrado justamente na sexta, Lewandowski já comunicou que continuará trabalhando durante o recesso.

Leia também1 EUA proíbem exportação de tecnologia a empresas chinesas
2 São Silvestre: SP exige máscara na largada, mas não no trajeto
3 Ronaldo Fenômeno compra o Cruzeiro por R$ 400 milhões
4 Pabllo Vittar aparece nas redes com curativos e hematomas
5 Fundão: Confira quem votou pela queda do veto de Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.