Leia também:
X Câmara aprova urgência para PL do Dia Nacional do Cristão

PT alega perseguição no caso de vereador que invadiu igreja

Gleisi Hoffmann, presidente do partido, se manifestou nas redes sociais

Monique Mello - 11/05/2022 17h45 | atualizado em 11/05/2022 18h02

Vereador Renato Freitas (PT) Foto: Rodrigo Fonseca/CMC

O Partido dos Trabalhadores (PT) do Paraná, por meio de sua presidente nacional Gleisi Hoffmann, se manifestou sobre a possível cassação do mandato do vereador Renato Freitas (PT). O parecer foi aprovado pelo Conselho de Ética da Câmara Municipal de Curitiba nesta terça-feira (10). O parlamentar liderou a invasão à Igreja Nossa Senhora do Rosário, na capital paranaense, em fevereiro.

A defesa do vereador tem cinco dias úteis para recorrer, a contar desta terça.

Em seu perfil oficial no Instagram, Gleisi declarou apoio e solidariedade ao parlamentar, alegando que a votação na Câmara foi injusta.

– A manifestação de Renato não fere o exercício legislativo, nem a legitimidade do seu mandato, portanto, a indicação pela cassação só demonstra a perseguição política contra o vereador e sua representatividade dentro da Câmara Municipal – escreveu na publicação, que teve os comentários limitados.

O CASO
No dia 5 de fevereiro, o vereador Renato Freitas liderou uma invasão à Igreja Nossa Senhora do Rosário, em Curitiba, durante a celebração de uma missa. Os militantes seguravam bandeiras do PT e do PCdoB e gritavam palavras como “racistas” e “fascistas”, ignorando os pedidos do padre para que cessassem o tumulto.

Em discurso, o vereador petista disse que os católicos haviam apoiado um “policial que está no poder”. Segundo ele, o ato era contra o racismo – o que, na sua visão, foi o motivo para o assassinato de pessoas como Moïse Mugenyi e Durval Teófilo Filho – e que teria relação com a conivência das pessoas com fé católica em relação a autoridades “fascistas”.

Leia também1 Câmara aprova urgência para PL do Dia Nacional do Cristão
2 Bolsonaro comenta derrubada de Moraes na redução do IPI
3 Visita de Lula em Juiz de Fora é marcada por atos pró-Bolsonaro
4 Lula: Campanha conclui que não alcançará Bolsonaro nas redes
5 Campanha do novo Polo com casal gay gera críticas e memes

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.