Leia também:
X Leia a íntegra do discurso de Barroso sobre o 7 de setembro

PT aciona o TSE para investigar ‘uso de dinheiro ilícito’ no dia 7

O corregedor Luís Roberto Salomão está responsável pela análise da petição

Monique Mello - 09/09/2021 13h30 | atualizado em 09/09/2021 14h38

Gleisi Hoffmann, presidente do PT, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Foto: AGPT/Lula Marques

O Partido dos Trabalhadores (PT) enviou um pedido ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que seja investigado se “recursos públicos ou ilícitos” foram utilizados nas manifestações do dia 7 de setembro, feriado da Independência. O deputado estadual Rui Falcão (PT) protocolou o pedido nesta quarta-feira (8).

O corregedor-geral do TSE, Luís Roberto Salomão, está responsável pela papelada do pedido. Salomão também é responsável pela ordem que desmonetizou canais conservadores, atendendo a uma determinação do ministro do STF Alexandre de Moraes.

– É preciso elucidar fatos potencialmente aptos a caracterizar abuso de poder e toda sorte de ilícito que possa impactar as eleições de 2022 – diz trecho da petição.

O deputado Falcão alega que a “militância foi estimulada pelo uso de recursos financeiros de fontes diversas, deixando claro com isso que transita pelas mãos dos altos chefes do bolsonarismo quantias elevadas de recursos financeiros, que estão à margem de controle ou contabilização oficial”.

– Aparentemente, há o uso de recursos provenientes do agronegócio, que estariam bancando caminhões em Brasília, e ainda o uso de recursos provenientes de doações feitas por PIX e até mesmo por criptomoedas – denuncia.

O partido não é o primeiro a tomar a medida contra as manifestações no último dia 7. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) informou na terça-feira (7) que acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo uma investigação para apurar a utilização indevida da máquina pública, do dinheiro público e de helicópteros, em favor das manifestações.

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.