Leia também:
X Governo do RJ entrega vacina de Oxford aos 92 municípios

PSOL quer investigar gastos do governo com alimentação

Partido foi à PGR após divulgação de gastos de todos os órgãos do Poder Executivo em 2020

Pleno.News - 26/01/2021 17h10 | atualizado em 26/01/2021 17h21

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Marcos Corrêa/PR

Após a divulgação, pelo portal Metrópoles, do que seria planilha dos gastos do governo federal com alimentos e bebidas em 2020, o PSOL decidiu acionar a Procuradoria-Geral da República (PGR) para pedir uma investigação. De acordo com a colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, os deputados David Miranda (PSOL-RJ), Sâmia Bomfim (PSOL-SP), Fernanda Melchionna (PSOL-RS) e Vivi Reis (PSOL-PA) protocolaram uma ação para apurar os valores.

Informação do portal Metrópoles aponta que o governo federal gastou R$ 1,8 bilhão na compra de mantimentos, o que representaria um aumento de 20% na comparação com 2019. Além disso, o veículo deu exemplos dos produtos, entre eles R$ 15 milhões em leite condensado e R$ 2,5 milhões em vinhos para o Ministério da Defesa.

Na ação, o PSOL disparou suas críticas ao governo e falou em um “um conjunto de fatores que vai desde a ineficiência do governo federal no enfrentamento das crises ora instaladas, passando pelo aumento do desemprego e cortes de orçamento da agricultura familiar, até as políticas neoliberais e ultra neoliberais fomentadas pelo Ministério da Economia que geram o crescimento da pobreza e da extrema pobreza de forma acelerada”.

Os valores apontados pelo Metrópoles representam os gastos de todos órgãos do Poder Executivo no ano passado, o que inclui ministérios, universidades, Forças Armadas e mais.

A iniciativa do PSOL chegou a ser criticada nas redes sociais. Um dos que condenou a medida foi o ex-deputado Roberto Jefferson.

– O PSOL daqui a pouco vai entrar com pedido de impeachment por causa de compra de leite condensado. O que o PSOL devia era explicar porque quer tanto mudar a educação infantil para permitir aberrações como “nome social” para crianças, banheiro unissex de ‘menines’ e outras idiotices – apontou.

Em outra frente, um outro grupo de parlamentares também decidiu pedir uma investigação sobre os gastos. A representação foi assinada pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e pelos deputados Tabata Amaral (PDT-SP) e Felipe Rigoni (PSB-ES) e enviada ao Tribunal de Contas da União (TCU0.

De acordo com o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, o grupo alega que “em meio a uma grave crise econômica e sanitária, o aumento de gastos apontado pelas matérias é absolutamente preocupante, tanto pelo acréscimo de despesas como pelo caráter supérfluo de muitos dos gêneros alimentícios mencionados”.

Leia também1 PF diz não ter elementos para indiciar por atos contra o STF
2 Feliciano: 'Esquerda quer porque quer derrubar um presidente'
3 "Irritado", Flavio Dino aciona o STF contra Jair Bolsonaro
4 Bolsonaro diz que economia superou expectativas em 2020
5 Em evento, Bolsonaro diz que irá 'acelerar' as privatizações

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.