Leia também:
X Bolsonaro: CoronaVac não tem comprovação científica

PSL, PP e DEM avaliam se unir e criar maior partido do Congresso

Legendas estão negociando fusão que pode receber filiação de Jair Bolsonaro

Gabriela Doria - 23/07/2021 16h10 | atualizado em 23/07/2021 16h59

Partidos avaliam se fundir para criar maior bancada do Congresso Nacional Foto: Câmara dos Deputados/Cleia Viana

A cúpula dos partidos PSL, DEM e PP, todos pertencentes ao Centrão, avalia uma fusão partidária, de acordo com o site Poder 360. Se a negociação se concretizar, esta será a maior bancada do Congresso, com 121 deputados e 15 senadores. Segundo o site de notícias, o acordo está para ser fechado, e a nova legenda deverá ser anunciada em breve.

A liderança do futuro partido será divida entre as três siglas. A presidência ficará com Luciano Bivar, atual chefe do PSL. A vice-presidência será ocupada por ACM Neto, atual presidente do DEM. O PP, com Ciro Nogueira, ficará a cargo da secretaria-geral do partido.

O PSL diz que a suposta fusão ainda é apenas um rumor e que Bivar é o responsável pela negociação. Nos bastidores, ACM Neto tem demonstrado resistência à união.

Especula-se que o presidente Jair Bolsonaro esteja apenas aguardando a criação da nova legenda para anunciar sua filiação, pela qual deve concorrer à reeleição em 2022.

Na quinta-feira (22), o presidente comentou sobre sua aproximação com o Centrão, representada pelo convite feito a Ciro Nogueira para ocupar a Casa Civil. Bolsonaro repudiou o fato de o termo “centrão” ser visto de forma “pejorativa”e disse que também fazia parte da ala.

– Centrão é um nome pejorativo. Sou do Centrão. Fui do PP metade do meu tempo. Fui do PTB. Fui do então PFL. No passado, integrei siglas que foram extintas – disse o chefe do Executivo.

NOTA DO PSL SOBRE A FUSÃO
O PSL mantém excelente diálogo com a maioria dos partidos. Com a filiação do jornalista José Luiz Datena, nome expressivo na conjuntura política, e agora com sua pré-candidatura à Presidência da República, o PSL já decidiu seu rumo para a eleição de 22 com candidatura própria. Assim é natural que os demais partidos com pautas convergentes se aproximem para abrirmos essa discussão, porém jamais abriremos mão de nossos ideais liberais, defendidos desde nossa fundação. Qualquer avanço no sentido de fundir-se, por conseguinte, enfrentará esses e outros entraves.

Leia também1 Bolsonaro: CoronaVac não tem comprovação científica
2 Bolsonaro sobre voto auditável: 'Se botar em votação, não passa'
3 Joice defende marido: ‘É mais fácil eu dar uma sova nele’
4 Eleita pelo PT, vereadora presa por chacina toma posse no CE
5 Bolsonaro diz estar pronto para pôr voto auditável no Orçamento

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.