Leia também:
X TSE aceita ação e Bolsonaro será investigado por “abuso de poder”

PSDB vai à Justiça para governo remover o termo “golpe” de site

Apresentação da nova presidente da EBC faz referência ao impeachment de Dilma como "golpe de 2016"

Henrique Gimenes - 19/01/2023 21h14 | atualizado em 23/01/2023 13h57

ex-presidente Dilma Rousseff
Ex-presidente Dilma Rousseff Foto: EFE/JUAN IGNACIO RONCORONI

Nesta quinta-feira (19), o PSDB usou as redes sociais para informar que decidiu acionar a Justiça Federal após o governo federal adotar a palavra “golpe” para se referir ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. O termo foi usado pelo site oficial da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Para o PSDB, no entanto, “o uso inadequado da palavra ‘golpe’ fere a Constituição”. O partido citou o artigo 37 da Constituição, que determina que a “publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos”.

À Justiça, o partido pediu a remoção do termo “de sites, propagandas e outros meios de comunicação oficiais ligados ao governo federal”.

A sigla ainda aponta que “afirmar que o impeachment de Dilma se constituiu em ‘golpe’ é ato desprovido de verdade. Golpe, no sentido político, é aquele em que os representantes eleitos são destituídos de seu cargo fora das regras previstas na Constituição Federal”.

Leia também1 TSE aceita ação e Bolsonaro será investigado por "abuso de poder"
2 "Torres não instruiu a equipe", diz ex-número 2 da SSP-DF
3 Raia capta R$ 5 milhões da Lei Rouanet e é criticada na internet
4 Marcelo Adnet relata abuso aos 5 anos: "Meu avô me salvou"
5 Missão do Itamaraty chega na Venezuela para preparar reabertura de embaixada

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.