Leia também:
X Homem asfixiado: Anistia Internacional cobra o governo brasileiro

“Privatiza ou toma medidas duras”, diz Lira sobre Petrobras

Presidente da Câmara sugeriu que o governo venda ações da petrolífera e deixe de ser acionista majoritário

Pleno.News - 27/05/2022 14h19 | atualizado em 27/05/2022 15h51

Presidente da Câmara, Arthur Lira Foto: EFE/ Joédson Alves

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), sugeriu nesta sexta-feira (27) que o governo venda ações da Petrobras. Em uma entrevista concedida à Rádio Bandeirantes, Lira recomendou que o governo negocie sua participação das ações da empresa sob controle do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e deixe o controle acionário da petroleira.

– Ele [governo] poderia vender as ações que tem no BNDES, em torno de 14%, e deixaria de ser majoritário – afirmou o presidente da Câmara.

Lira aconselhou que a operação seja feita por um projeto de lei, ou após “uma discussão mais aprofundada”. Para o deputado, a empresa se protege “no fato de o governo ser majoritário para não pagar o desgaste da sua inação, dessa sua falta de sensibilidade”.

– Ou a gente privatiza essa empresa, ou a gente toma medidas mais duras – declarou.

Segundo Lira, se o governo deixar de ser o acionista majoritário, ele “tiraria das suas costas essa responsabilidade da falta de sensibilidade da Petrobras”. Sobre a disparada nos preços dos combustíveis, o presidente da Câmara voltou a citar exemplos de petroleiras que, segundo ele, “têm tido a sensibilidade de abrir mão de parte dos seus lucros abusivos”.

*AE

Leia também1 Bolsonaro diz que deu indulto a Silveira para dar exemplo ao STF
2 "Quem vai decidir essa eleição é o Centro", diz Arthur Lira
3 Bolsonaro diz que tratará com Biden acertos feitos com Trump
4 Ipespe contraria Datafolha e mostra ascensão de Bolsonaro
5 Deputado diz que PT vetou atriz pornô por ela ser “pobre”

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.