Leia também:
X IBGE pede orientações sobre Censo à Economia após corte

Presidente Bolsonaro discursa em 30º aniversário do Mercosul

Mandatário pediu modernização do bloco, mais negociações externas e atualização de tarifas

Pleno.News - 26/03/2021 12h57 | atualizado em 26/03/2021 13h31

jair bolsonaro, paulo guedes e ernesto araújo no aniversário do mercosul
Ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, presidente Jair Bolsonaro e ministro da Economia, Paulo Guedes Foto: Reprodução | Tv Brasil

O presidente Jair Bolsonaro pediu nesta sexta-feira (26) que os demais países membros do Mercosul “redobrem os esforços nas negociações externas”, garantindo que o Brasil quer “celeridade” e “resultados significativos”, em discurso pelo aniversário do 30º aniversário do bloco comunitário.

– Queremos que nossas economias possam participar ainda mais das novas cadeias de valor regionais, especialmente neste momento, em que precisamos urgentemente superar os grandes danos causados pela pandemia – disse o chefe de governo brasileiro.

Bolsonaro se manifestou logo depois que o presidente da Argentina, Alberto Fernández, fez o discurso de abertura da cerimônia virtual que celebrou o aniversário de 30 anos do Mercosul, em ato em que também se pronunciarão os presidentes do Paraguai, Mario Abdo Benítez, do Uruguay, Luis Alberto Lacalle Pou; do Chile (país associado ao bloco), Sebastián Piñera; e da Bolívia (que está em processo de adesão ao bloco), Luis Arce.

MODERNIZAÇÃO DO MERCOSUL
Durante o discurso do Brasil, Bolsonaro fez um apelo em prol da “modernização” do Mercosul, por meio da “atualização das tarifas externas”.

O presidente também destacou que há “grande espaço para aprofundar ainda mais o regionalismo” naqueles setores que estão à margem do comércio internacional e apelou para “superar as lacunas” em indústrias (como a automotiva e a açucareira), alinhando as regulamentações existentes “às melhores práticas e padrões internacionais”.

Bolsonaro falou, diversas vezes, sobre a “concepção original” do Tratado de Assunção, que fundou o Mercosul em 1991, destacando que é preciso respeitar as premissas de “liberdade política e econômica” dos países que integram o bloco.

– Temos que dar o exemplo com resultados concretos, com empregos e renda para nossos cidadãos, com apoio às nossas empresas e com bens de menor valor e melhor qualidade disponíveis para todos os consumidores – disse Bolsonaro, que completou o discurso dizendo ser necessário “melhorar as regras que valorizam o ambiente de negócios”.

Para alcançar a modernização do bloco regional, o presidente defendeu que os países possam negociar livremente seus próprios tratados comerciais, dado que as diferenças de cunho político ou econômico entre os integrantes do Mercosul “não têm que afetar o avanço do projeto de integração”.

– Entendemos que a regra do consenso não pode ser transformada em uma ferramenta de veto ou em um freio permanente. O princípio da flexibilidade está inscrito no próprio Tratado de Assunção. O Brasil quer contar com o apoio dos outros membros do bloco para continuar expandindo a rede de negociações comerciais extrarregionais – disse.

SOLIDARIEDADE COM VÍTIMAS
Hoje, Bolsonaro iniciou o discurso admitindo que os países do Mercosul atravessam um “momento difícil e “repleto de desafios”, devido ao impacto da pandemia da Covid-19 na região.

– Reafirmo minha solidariedade às famílias e meu profundo luto pela perda de vidas e pelo profundo sofrimento que a pandemia tem causado ao nosso povo – disse o presidente.

*EFE

Leia também1 4 mil venezuelanos fogem para Colômbia por conflitos armados
2 Meganavio encalhado em Suez já afeta mais de 230 embarcações
3 Alemanha envia doação de 80 respiradores ao Brasil
4 Venezuela: Empresas privadas tentam importar vacinas
5 Biden quer aplicar 200 milhões de vacinas até o fim de abril

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.