Leia também:
X TJSP manda estado indenizar aluno ferido com caco de vidro

PGR quer processar Silveira por desacato a policial civil do IML

Na ocasião, deputado se negou a colocar máscara e bateu-boca com agente

Pleno.News - 19/02/2021 19h03 | atualizado em 19/02/2021 19h06

Daniel Silveira se negou a usar máscara dentro do IML Foto: Agência Estado/Betinho Casas Novas

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu a abertura de inquérito contra o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) para apurar possíveis crimes de desacato e infração de medida sanitária no episódio em que o parlamentar discutiu com uma policial civil ao se recusar a usar máscara no Instituto Médico Legal do Rio de Janeiro. Silveira foi preso na terça (16), horas após publicar vídeo com críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e apologia ao AI-5.

O episódio ocorreu na quarta (17), quando Silveira se dirigiu ao IML para prestar exames após a prisão. Ao chegar no local, uma policial civil percebeu que o deputado estava sem a máscara, obrigatória em locais públicos do Rio de Janeiro desde junho, e avisou: ‘Para a nossa proteção e para a sua também, aqui dentro tem que usar máscara’.

Silveira se recusou a cumprir a orientação e respondeu: ‘A senhora não manda em mim não. Está achando que está falando com vagabundo? Meu irmão, a pior coisa é militante petista’. Diante da insistência, o deputado subiu o tom: ‘E se eu não quiser botar? Se a senhora falar mais uma vez eu não boto. Se falar mais uma vez eu tiro. A senhora é policial civil, eu também sou polícia, e aí? E sou deputado federal, e aí? A senhora não conhece a p**** da lei, não?’.

A discussão foi registrada em vídeo e divulgada nas redes sociais por um assessor do deputado.

A PGR quer apurar se Silveira cometeu os crimes de desacato ao desobedecer a policial civil e infração de medida sanitária por deixar de usar máscara em local público. A investigação foi solicitada ao STF pelo vice-procurador-geral Humberto Jacques de Medeiros após ofício enviado à PGR pelo ministro Alexandre de Moraes, que decretou a prisão em flagrante de Silveira na investigação que mira ‘fake news’ e ameaças contra a Corte.

Medeiros afirma que, apesar das imagens terem sido registradas em vídeo, ainda há necessidade de diligências para apurar o episódio no IML, incluindo a realização de depoimentos com os agentes públicos envolvidos no episódio e o próprio deputado.

*Estadão

Leia também1 Relatora vota a favor de manter a prisão de Daniel Silveira
2 Por vídeo, Daniel Silveira pede 'desculpas' e diz que 'se excedeu'
3 Perfis de Silveira no Facebook e no Instagram são retirados do ar
4 Fux diz que foi ele quem pediu que Daniel Silveira fosse preso
5 Web denuncia abusos e pede por #DanielSilveiraLivre

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.