Leia também:
X Ética da Câmara segue com ação pela cassação de Silveira

PGR protocola ação contra decisão de Fachin sobre Lula

Equipe da Procuradoria atendeu determinação de Augusto Aras

Monique Mello - 12/03/2021 13h22 | atualizado em 12/03/2021 14h05

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva possui duas condenações e dois processos Foto: Reprodução

A Procuradoria-Geral da República (PGR) acaba de apresentar, nesta sexta-feira (12), recurso contra a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que anulou na última segunda-feira (8) duas condenações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros dois processos nos quais ele é investigado.

Lindôra Maria Araujo, subprocuradora-geral da República e chefe da Lava Jato na PGR, afirma que a competência da 13ª Vara Federal de Curitiba deve ser mantida, para processar as ações penais que tratam do triplex no Guarujá, do sítio de Atibaia, da sede do instituto Lula e das doações ao Instituto Lula.

A PGR informou, por meio de nota, que o Ministério Público Federal entende que a competência da 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba deve ser mantida como a responsável pelas quatro ações penais contra o ex-presidente. Elas envolvem o tríplex do Guarujá, o sítio de Atibaia e o Instituto Lula.

Fachin, por sua vez, atendeu pedido da defesa da Lula e considerou que os processos não poderiam ter sido julgados no Paraná por não haver conexão dos temas com a investigação de ilícitos na Petrobras, que eram investigados pela Operação Lava Jato em Curitiba.

 

Leia também1 Veja a vida pregressa dos "Supremos": Edson Fachin
2 Chamado de terraplanista por Lula, Bolsonaro mostra globo terrestre
3 Zambelli é eleita presidente da Comissão de Meio Ambiente
4 Gilmar Mendes troca farpas com Araújo e o acusa de "fake news"
5 Presidente da CCJ, Kicis diz que 'Bia radical' nunca existiu

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.