Leia também:
X Juízes têm média salarial maior que a do presidente Bolsonaro

Pazuello: “Brasil só irá aplicar vacinas registradas na Anvisa”

Ministro da Saúde também informou que governo trabalha com até três opções de imunizações

Henrique Gimenes - 02/12/2020 15h20 | atualizado em 02/12/2020 20h08

Eduardo Pazuello, ministro da Saúde Foto: MS/Erasmo Salomão

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou, nesta quarta-feira (2), que o país trabalha com no máximo três opções de vacinas da Covid-19 para imunizar a população brasileira. De acordo com ele, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) será responsável por liberar as imunizações no país.

A declaração foi dada durante uma participação na Comissão Mista do Congresso que trata de medidas da Covid-19. O ministro não fez menção a nenhum laboratório.

– São muito poucas as fabricantes que têm quantidade e um cronograma de entrega efetivo para o nosso país. Quando chega no final das negociações e vai para cronograma de entrega e fabricações, os números são pífios. É um número de grande quantidade que reduz a uma, duas, três ideias (companhias). A maioria fica com números muito pequenos para nosso país – destacou

A declaração segue na mesma direção dada pelo secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, que apresentou as características desejáveis da vacina que o Brasil planeja utilizar na rede pública de saúde, o que acabou descartando a imunização da Pfizer, já que ela precisa ser armazenada em uma temperatura de -70ºC.

Pazuello também voltou a falar que vacinas no país só serão aplicadas após registro da Anvisa.

– A Anvisa é o nosso padrão ouro. Os técnicos e a equipe da Anvisa estão voltados e prontos para tratar o assunto de forma célere e direta, com mudanças de protocolos, recebimento de documentação com submissão contínua e imediata de cada processo. Nós precisamos compreender de uma vez por todas que só aplicaremos vacina no Brasil registradas na Anvisa, com todos os protocolos cumpridos da maneira correta. Isso precisa ficar claro – ressaltou.

Leia também1 Vladimir Putin ordena início de vacinação em massa na Rússia
2 Dra. Nise Yamaguchi alerta: 'A vacina não pode ser obrigatória'
3 Maguito Vilela testa negativo para Covid, mas segue em UTI
4 Janaina defende Bolsonaro: "Ele não tem sido tão anticiência"
5 Após atingir maior marca, taxa de contágio desacelera no Brasil

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.