Leia também:
X “Apoio Lula na mesma hora”, diz Zema, sob uma “condição”

Para Lewandowski, tese do PL, se confirmada, anula toda eleição

O ministro do TSE defendeu a decisão de Moraes que cobrou um relatório com dados do primeiro turno

Leiliane Lopes - 23/11/2022 17h43 | atualizado em 23/11/2022 18h28

Ministro Ricardo Lewandowski Foto: Carlos Humberto/SCO/STF

Ao comentar sobre a tese do Partido Liberal (PL) a respeito das urnas eletrônicas, o ministro Ricardo Lewandowski, vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), declarou que, se confirmada, poderá anular toda a eleição.

Segundo ele, os resultados para deputados, governadores e senadores também seriam cancelados, não apenas a eleição presidencial.

– Se o defeito está nas urnas, está tanto no primeiro quanto no segundo turno. Se alegar defeito e colocar em xeque toda a votação no segundo turno, evidentemente esse defeito estaria no primeiro turno e aí teria que anular toda a eleição para senador, deputado, governador – disse.

Lewandowski concorda com a decisão de Moraes sobre o PL enviar todos os dados do primeiro turno também.

A fala do ministro foi dita à imprensa antes de o PL realizar uma coletiva para esclarecer dados do relatório. O presidente da sigla, Valdemar Costa Neto, deixou claro que eles estão questionando apenas as incoerências do resultado do segundo turno.

– Não se trata de pedir outra eleição. Não tem sentido, pois é um processo que envolve milhares de pessoas. Essa nunca foi a nossa intenção. Não estamos discutindo a eleição, estamos discutindo a história do Brasil – disse o ex-deputado.

Leia também1 Não podemos conviver com o fantasma de 2022, diz Valdemar
2 Mourão sobre ação do PL para anular votos: 'Não vai prosperar'
3 Moraes vai conceder medalha a PMs por trabalho nas eleições
4 PL pede a anulação de um total de 279 mil urnas eletrônicas
5 Ao vivo: Valdemar Costa Neto faz novo pronunciamento

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.