Leia também:
X Piquet se torna o maior doador da campanha de Bolsonaro

Rio: Paes diz que Bolsonaro tem direito a mudar lugar de evento

Prefeito afirmou que as comemorações dos 200 anos da Independência são ato legítimo do presidente da República

Pleno.News - 26/08/2022 17h51 | atualizado em 26/08/2022 18h30

Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Nesta sexta-feira (26), o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), disse que a transferência dos desfiles de 7 de Setembro da Avenida Presidente Vargas, no Centro, para a Avenida Atlântica, em Copacabana, é uma “não polêmica”. Depois de se encontrar com o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, Paes afirmou que as comemorações dos 200 anos da Independência são ato legítimo do presidente Jair Bolsonaro e que auxilia “pessoalmente” a organização.

– De verdade, [essa discussão] tem um certo exagero. Vai acontecer aqui [na Atlântica] sob o ponto de vista do ato protocolar, [pois] o [ponto de vista] político ninguém controla. É uma formalidade, palanque, uma hora de evento. Não tem nada demais. Acho que é uma não polêmica. O presidente Lula entende isso, sabe que é absolutamente normal, e se fosse presidente também estaria celebrando 200 anos de Independência – disse o prefeito.

Nas últimas décadas, os desfiles militares de 7 de Setembro sempre aconteceram no Centro do Rio. A parada ocorre na Avenida Presidente Vargas, praticamente em frente ao Palácio Duque de Caxias, sede do Comando Militar do Leste. Este ano, contudo, os festejos foram cancelados, por desejo do presidente Jair Bolsonaro. Em seu lugar, Marinha e Aeronáutica farão apresentações, respectivamente, no mar e no ar. O Exército deve promover uma solenidade, provavelmente junto ao Forte de Copacabana.

Paes minimizou a mudança.

– De verdade, acho que tem uma supervalorização de algo absolutamente normal, que é o dia do 7 de Setembro. Bolsonaro é o presidente da República e tem todo o direito de fazer o evento que ele quiser. O evento que eles estão fazendo eu estou participando pessoalmente [da organização]. Esta semana estive com o general de novo, estive com o almirante, comandante do Primeiro Distrito Naval. Conversei com o presidente sobre isso no dia em que fui a Brasília – falou.

O prefeito deu as declarações após fazer uma visita a Lula no Hotel Pestana, em Copacabana, na Zona Sul da cidade. Pela manhã, o candidato do PT à Presidência recebeu Marcelo Freixo, que disputa o governo do Rio pelo PSB. Paes já declarou ser apoiador do petista no pleito nacional e reiterou a condição nesta visita.

O prefeito não participou da reunião com Freixo. No estado, ele apoia o candidato do PDT, Rodrigo Neves.

Paes chegou ao hotel depois da agenda dos candidatos, cumprimentou Freixo amistosamente e se reuniu com Lula e sua equipe. Segundo o prefeito, foi uma conversa para tratar de “assuntos de campanha”.

*AE

Leia também1 Moro quer direito de resposta na Globo à entrevista de Lula no JN
2 Moraes recua e libera campanha do governo sobre Independência
3 Otoni "comemora" um ano de bloqueio nas redes sociais
4 Bolsonaro: "Globo trata melhor aqueles dispostos a pagar mais"
5 Ciro diz que Lula apresentou no JN uma proposta copiada dele

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.