Leia também:
X Queiroga posa em cima de moto: “Tô indo entregar vacina”

Pacheco cancela viagem a Viena para monitorar atos do dia 7

Presidente do Senado afirmou que não "admitirá qualquer retrocesso" na democracia

Thamirys Andrade - 29/08/2021 13h02 | atualizado em 29/08/2021 14h00

Rodrigo Pacheco Foto: Agência Senado/Roque de Sá

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), decidiu cancelar sua participação em um evento em Viena, na Áustria, para monitorar os atos pró-governo no dia 7 de setembro. Em entrevista ao jornal O Globo, ele declarou que não admitirá “qualquer retrocesso” no estado democrático.

– Nós não admitiremos qualquer retrocesso, e tenho certeza de que também esse será o papel das Forças Armadas – afirmou ele ao ser questionado sobre risco de ruptura institucional por parte de militares.

Pacheco descreveu ainda as Forças Armadas como “instituições maduras, com um patriotismo muito forte e com obediência absoluta ao estado democrático de direito”.

O parlamentar chamou ainda de “episódio desnecessário” a participação do presidente Jair Bolsonaro no desfile de blindados na Praça dos Três Poderes, mas disse não superestimar o caso.

– São episódios desnecessários, que deveriam ser evitados, especialmente neste momento em que há esses rumores. Mas não faço deles algo mais importante do que verdadeiramente são. O que vale é que temos as Forças Armadas conscientes do seu papel e muito bem comandadas por pessoas que têm esse compromisso com o país e que não se aventurarão em disputas ideológica e política – assinalou.

Leia também1 Manifesto político pode levar à saída de Caixa e BB da Febraban
2 Queiroga posa em cima de moto: “Tô indo entregar vacina”
3 Morre o general Rômulo Bini, que alertou sobre o Foro de SP
4 General Ramos diz que ataques contra Bolsonaro são "covardes"
5 Tesoureiro do PSDB é acusado de pressionar aliados a apoiar Doria

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.