CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Bolsonaro celebra transmissão do Flamengo: “Alforria”

Oswaldo Eustáquio nega ter articulado atos contra o STF

Jornalista informou que ofensas dirigidas a Alexandre de Moraes foram feitas por infiltrados

Pleno.News - 03/07/2020 08h39 | atualizado em 03/07/2020 08h44

Oswaldo Eustáquio disse que não articulou atos contra o STF Foto: Reprodução

O jornalista e youtuber Oswaldo Eustáquio Filho negou, em depoimento à Polícia Federal nesta quinta-feira (2), que tenha participado de manifestações e incentivado atos contra instituições como o STF (Supremo Tribunal Federal) e Congresso Nacional.

Interrogado na superintendência de Brasília, para onde foi transferido após ser preso no Mato Grosso do Sul, ele atribuiu a infiltrados ofensas dirigidas ao ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito sobre os atos contra a Suprema Corte. Moraes determinou a prisão de Eustáquio na semana passada.

– [Eustáquio] afirma que as pessoas que proferiram tais falas não pertencem a nenhum movimento conhecido pelo declarante, que tais pessoas foram identificadas pelo movimentos como infiltrados; que as pessoas se referiam ao ministro do STF Alexandre de Moraes como ‘cabeça de ovo’ e ‘advogado do PCC’ – afirmou ele, segundo um trecho do depoimento.

Ele se referia a uma manifestação da qual participou em junho, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Esses infiltrados, segundo o jornalista, tentaram furar bloqueio da Polícia Militar nas proximidades do Congresso, em direção à Praça dos Três Poderes.

Moraes mandou prender Eustáquio Filho a pedido da Polícia Federal e com o aval da PGR (Procuradoria-Geral da República), sob a suspeita de que o apoiador de Bolsonaro estaria fugindo do país. A defesa do jornalista nega que fosse intenção dele deixar o Brasil.

À PF, ele afirmou que houve um equívoco das autoridades por ter feito mudança de residência recentemente -a casa antiga e a atual ficam em bairros nobres de Brasília. O jornalista disse que decidiu participar de recentes manifestações “pelo Brasil, pelas instituições, pela manutenção da tripartição dos Poderes e pela intervenção popular”.

Eustáquio disse ainda que é amigo de Sara Giromini, conhecida como Sara Winter e líder do grupo 300 do Brasil, mas negou qualquer vínculo profissional com ela. Ele também declarou que mantém relação de amizade com Allan dos Santos, do site Terça Livre.

O jornalista disse à PF que trabalhou como assessor de imprensa do governo de transição de Bolsonaro até 31 de janeiro de 2019. Creditou a indicação a “uma coalizão de pessoas que conheciam o seu currículo de mais de dez anos de jornalista investigativo no Paraná”. Atualmente, segundo ele, tem vínculo não formal com um jornal do Paraná e uma rádio de Goiânia (GO), para os quais produz reportagens escritas e em vídeo.

Por fim, ele destacou que se tornou youtuber há dois meses e meio, a partir de uma entrevista que fez com o ex-deputado Roberto Jefferson, mas que nunca recebeu dinheiro (monetização) pela atividade do seu canal no YouTube.

*Folhapress

Leia também1 STF jogou a liberdade de expressão no lixo, diz Malafaia
2 Moraes prorroga prisão do jornalista Oswaldo Eustáquio
3 Manifestantes criticam STF em ato pró-Bolsonaro
4 Jornalista Oswaldo Eustáquio é preso pela Polícia Federal
5 Jurista Ives Gandra explica aplicação do Artigo 142

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo