Leia também:
X Sobrinho de Castor de Andrade tem prisão decretada

“O STF condena inocentes e libera corruptos”, protesta Malafaia

Pastor afirmou que não tem medo de ser preso pelo que fala

Ana Luiza Menezes - 13/03/2021 19h45 | atualizado em 13/03/2021 20h45

Pastor Silas Malafaia “desmontou” tese da Veja sobre ministros evangélicos Foto: Reprodução

Neste sábado (13), o pastor Silas Malafaia publicou um vídeo com críticas contra o Supremo Tribunal Federal (STF). Ele voltou a protestar contra a decisão do ministro Edson Fachin, que anulou as condenações de Lula na Lava Jato e devolveu ao petista seus direitos políticos e elegibilidade.

– Estamos presenciando, no Brasil, um verdadeiro filme de terror. (…) Estou falando de roubalheira comprovada. (…) Saquearam a nossa nação. Desemprego, crise econômica, crise na saúde, [tudo] culpa desses corruptos. E nós estamos vendo essa gente livre e solta, como se nada tivesse acontecido. O STF deixou de ser guardião da Constituição para ser guardião de corruptos, que saquearam a nossa nação. É a suprema corte da injustiça, que prende inocentes por suas palavras e libera corruptos condenados pela Justiça. Que vergonha! Falo como cidadão indignado. Não tenho medo de ser preso – declarou.

Pastor protestou contra o STF Foto: Reprodução

No conteúdo, o pastor disse que “a imprensa vergonhosamente tem apoiado Lula”.

Ele também se posicionou contra prefeitos e governadores que têm anunciado restrições em função da pandemia. Em sua avaliação, o povo deve ir às ruas “de verde e amarelo”.

– Deus livre nossa nação dessa gente – concluiu.

Leia também1 Lula ataca igrejas e Malafaia reage: "Jesus liberta da cachaça"
2 Malafaia detona prefeito evangélico que fechou igrejas
3 Malafaia rebate Grupo Globo e denuncia perseguição religiosa
4 Malafaia sobre veto de Doria: 'Nas eleições vamos dar resposta'
5 "Um monte de deputado com rabo preso no STF", diz Malafaia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.