Nova ministra, Damares defende “Brasil sem aborto”

Advogada e pastora assumirá Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

Pleno.News - 06/12/2018 20h22

A futura ministra Damares Foto: Valter Campanato/Ag. Brasil

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (6), a futura ministra Damares Alves comentou algumas das linhas de atuação que seu ministério adotará, dentre elas o aborto.

– Eu sou contra o aborto. Eu acho que nenhuma mulher quer abortar. As mulheres chegam até o aborto porque, possivelmente, não foi lhe dada outra opção. A mulher que aborta acreditando estar desgravidando não está “desgravidando”. O aborto não ‘desgravida’ nenhuma mulher. A mulher caminha o resto da vida com o aborto – afirmou Damares.

Ela também defendeu que a pasta vai atuar na proteção da vida.

– Esta pasta não vai lidar com o tema aborto. Esta pasta vai lidar com a proteção de vidas, e não com a morte. Que fique bem claro isso – disse a futura ministra.

Outros temas polêmicos foram abordados na coletiva. Sobre a comunidade LGBT, por exemplo, a pastora definiu como uma agenda “muito delicada”.

– Tenho entendido que dá para a gente ter um governo de paz entre o movimento conservador, movimento LGBT e os demais movimentos. É para isso que a gente se propõe – declarou a advogada.

Já sobre a transferência da Funai para o ministério sob seu comando, Damares foi taxativa.

– Funai não é problema, índio não é problema. Funai não é problema neste governo. O presidente só estava esperando o melhor lugar para colocar a Funai. Esta nação é linda, bela e plural. Este governo vem para atender esta nação linda, bela e plural – defendeu a ministra, que tem longo histórico de ativismo pela causa indígena.

NOMEAÇÃO
Na tarde desta quinta-feira, o ministro extraordinário de transição Onyx Lorenzoni anunciou Damares Alves como chefe da pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

LEIA TAMBÉM+ Quem é Damares Alves, nova ministra de Jair Bolsonaro
+ Frente Evangélica faz elogios a Damares: "Não é indicação"
+ É oficial! Damares Alves comandará Direitos Humanos


Clique para receber notícias
WhatsApp
Envie sugestões por WhatsApp
+55 (21) 97150-9158