Leia também:
X Em áudios, PCC e Marcola já fizeram referência ao PT

Nova lei do impeachment tem 38 tipos de crimes do presidente

Cinco áreas foram criadas para listar os crimes de responsabilidades que podem gerar a perda da função

Leiliane Lopes - 25/03/2023 08h53 | atualizado em 27/03/2023 12h29

Grupo responsável pela nova lei do impeachment Foto: Pedro Gontijo/Senado Federal

O projeto de lei que cria um novo rito para os processos de impeachment contra autoridades apresentado nesta quinta-feira (23) pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-RO), classifica como crime de responsabilidade pelo menos 38 condutas do presidente e do vice-presidente da República.

O texto divide a série de crimes em cinco áreas: crimes contra a existência da União e a Soberania Nacional; crimes contra as instituições democráticas, a segurança interna do país e o livre exercício dos Poderes Constitucionais; crimes contra o exercício dos direitos e garantias fundamentais; crimes contra a probidade na administração; e crimes contra a Lei Orçamentária.

A seção sobre crimes contra as instituições democráticas criminaliza o ato de “divulgar, direta ou indiretamente, por qualquer meio, fatos sabidamente inverídicos, com o fim de deslegitimar as instituições democráticas” e “decretar estado de defesa, estado de sítio, ou a intervenção federal, ou empregar as Forças Armadas em operação de garantia da lei e da ordem, sem a observância dos requisitos constitucionais e legais”; e outros tipos de crimes.

Já a parte contra garantias fundamentais, o texto criminaliza e dá direito ao pedido de impeachment “deixar de adotar as medidas necessárias para proteger a vida e a saúde da população em situações de calamidade pública”; entre outras coisas.

A nova lei do impeachment foi criada por uma comissão de juristas liderada pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), e foi instalada no ano passado por Rodrigo Pacheco.

O grupo recomendou a revogação da Lei 1.079, de 1950, que define os crimes de responsabilidade e regula o processo de julgamento. O PL 1.388/2023 pode ser lido na íntegra aqui.

Leia também1 Quase 100 dias de governo: Lula tem 6 pedidos de impeachment
2 Em áudios, PCC e Marcola já fizeram referência ao PT
3 Dino irá à Câmara esclarecer ida ao Complexo da Maré
4 Luiz Marinho: "Terceirização é prima-irmã do trabalho escravo”
5 Fiscais flagram trabalhadores escravizados no Lollapalooza

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.