“Não tenho poder de indicar nem de vetar ninguém”

Pastor Silas Malafaia fala sobre Bolsonaro e Magno Malta em entrevista na Globo News

Pleno.News - 30/11/2018 00h35

Pr. Silas Malafaia participou do programa Diálogos, de Mario Sergio Conti, na Globo News Foto: Globo News

Entrevistado pelo jornalista Mario Sergio Conti, na Globo News, nesta quinta-feira (29), o pastor Silas Malafaia falou novamente sobre a escolha de Jair Bolsonaro para o Ministério da Cidadania. Cargo este que a bancada evangélica sugeriu para ser oferecido a Marcos Feliciano.

Apesar de ser grande apoiador do presidente eleito, Malafaia usou suas redes sociais para se posicionar a favor de Magno Malta. Contrariando as expectativas, Bolsonaro nomeou o deputado federal Osmar Terra para a pasta.

– Não tenho poder de indicar nem de vetar ninguém. Magno Malta foi o primeiro camarada a acreditar em Bolsonaro e viajou o Brasil inteiro para ajudá-lo. Magno foi um guerreiro e me convenceu a apoiar Bolsonaro. Eu sou um apoiador intransigente do presidente, mas não sou subalterno. Não sou obrigado a concordar em tudo com ele – respondeu Silas no primeiro bloco do programa.

APOIO A LULA
Questionado sobre algumas opiniões do presidente em assuntos como a ditadura, o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo comparou o período a “um remédio ruim para um mal pior”. Mario Sergio Conti também relembrou o apoio dado pelo pastor aos petistas Lula e Dilma Rousseff nas eleições passadas.

– A gente acreditou que um cara que veio da pobreza podia mudar o país. Meu partido é o Brasil e, se eu acho que um camarada pode abençoar minha nação, eu vou votar. Não sou responsável pelos atos de meus filhos maiores, que dirá pelos outros. Se Bolsonaro entrar em alguma coisa corrupta, vou largar o aço.

INVESTIGAÇÃO
O episódio em que Silas Malafaia foi indiciado em dezembro de 2016 após receber um cheque de R$ 100 mil de um advogado investigado pela chamada Operação Timóteo também foi debatido. Assim como na época, o pastor declarou não dever nada a ninguém.

– Mostrei meu imposto de renda à imprensa. Disseram que eu estava lavando dinheiro, mas não sou objeto dessa investigação e desafio a quem quiser ver se tem algum telefonema meu a um desses caras.

Conti convidou o pastor para continuar o debate em um outro programa. O jornalista prometeu tratar de temas mais polêmicos, como o programa Escola sem Partido. Algo visto pelo líder religioso como uma doutrinação ideológica por parte da esquerda.

LEIA TAMBÉM+ "Minha morte interessa a muita gente", diz Bolsonaro
+ Globo tem a menor audiência geral dos últimos três anos
+ "Lava Jato está tirando o país das mãos de quem o destruía"


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo