Leia também:
X Em mensagem, comandante do Exército fala em liberdade

“Não apareceu prova concreta de fraude nas urnas”, diz Mourão

Para o atual vice-presidente, resultado das urnas foi em grande parte pelo chamado "voto de cabresto"

Monique Mello - 25/12/2022 09h41 | atualizado em 27/12/2022 10h22

General Hamilton Mourão Foto: Romério Cunha/ VPR

O vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos-RS) mostrou sua visão sobre as hipóteses levantadas de fraude nas urnas nas eleições deste ano. O general disse que não houve prova concreta sobre fraude, enquanto acredita que o que houve foi o chamado “voto de cabresto”.

– Não posso dizer que tenha havido fraude nas urnas, porque não apareceu nenhuma prova concreta sobre essa questão. O que eu julgo que aconteceu, como acontece ao longo da história do Brasil desde que nós instituímos o voto popular, é o voto de cabresto – afirmou em entrevista ao Metrópoles, neste sábado (24).

Para o senador eleito, a ocorrência do voto de cabresto pode ser percebida em lugares no interior, em terras indígenas, áreas quilombolas, onde Bolsonaro obteve 0 voto nas urnas.

– Quando se verifica aquelas análises que foram apresentadas das urnas em determinados lugares, nas quais teve zero voto para Bolsonaro e vários votos para o Lula, é típica questão de voto de cabresto. Para mim, aquilo não é alteração do processo da urna, mas é aquela história, juntou todos os eleitores, grupo pequeno de 200 ou 300 eleitores foi lá e votou, e isso, numa eleição apertada, como essa que ocorreu, ele [Lula] teve uma composição muito grande – acrescentou o vice-presidente.

Leia também1 Mourão deixa residência até o dia 26 para chegada de Alckmin
2 "Clamor das manifestações é legítimo", reforça Mourão
3 Em mensagem, comandante do Exército fala em liberdade
4 Presidente Jair Bolsonaro posta vídeo emocionante no TikTok
5 Bia Kicis acredita que Bolsonaro não passará faixa para Lula

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.