Leia também:
X “Senha era 12345”, afirma hacker sobre o sistema do CNJ

Na CPMI, hacker chama Moro de criminoso, e senador rebate; veja

Walter Delgatti prestou depoimento na CPMI dos atos de 8 de janeiro, nesta quinta-feira

Pleno.News - 17/08/2023 13h46 | atualizado em 17/08/2023 16h10

Hacker depõe na CPMI dos atos de 8 de janeiro Foto: Bruno Spada/Câmara dos Deputados

O hacker Walter Delgatti, conhecido por ter acessado diálogos de membros da Operação Lava Jato, teve momentos de embate com o senador Sergio Moro (União Brasil-PR) nesta quinta-feira (17), durante seu depoimento à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de Janeiro. Em certo momento, Delgatti chegou a chamar o parlamentar de “criminoso contumaz”.

– Eu fui vítima de uma perseguição em Araraquara, inclusive comparável à perseguição que o senhor fez com o presidente Lula e o PT. Ressaltando que eu li as conversas de vossa excelência, li a parte privada, e posso dizer que o senhor é um criminoso contumaz. Cometeu diversas irregularidades e crimes – disse Delgatti.

Após a fala, Moro retrucou:

– O bandido aqui, que foi preso, é o senhor. O senhor é inocente como o presidente Lula, então?

E completou:

– Nós temos um depoente que é acusado e processado por diversos crimes de estelionato (…). Há um caso de condenação de que envolveria 44 vítimas, sinais claros de que ele está envolvido em práticas criminosas e faz do crime a sua profissão – disse.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Pleno.News (@plenonews)

O parlamentar, que era o juiz da Lava Jato, iniciou a inquirição perguntando a Delgatti a quantos processos por crime de estelionato ele responde. Moro ainda ironizou o tempo que o hacker levou para responder e disse: “Se perdeu a conta, pode seguir, por gentileza”.

O hacker respondeu que se lembra de ter sido julgado em ao menos quatro ações e que teria sido absolvido em todas elas. Moro insistiu que Delgatti respondia a mais de 40 processos.

Diante das ofensas mútuas, o vice-presidente da CPMI, Cid Gomes (PDT-CE), pediu por respeito de ambas as partes e chegou a mencionar que o senador tentava desqualificar a testemunha.

– Eu vejo colegas tomando a palavra dele como se fosse uma verdade absoluta, quando estamos diante de um estelionatário condenado. Esse herói já fez como vítima diversas pessoas inocentes, não só hackeando, mas roubando valores – disse.

Delgatti rebateu as afirmações de Moro dizendo que ele espalha fake news. O senador usou todo o seu tempo para questionar o hacker sobre o histórico de condenações na Justiça.

Moro perguntou, por exemplo, qual foi a intenção de Delgatti ao invadir o celular do senador Davi Alcolumbre (União Brasil-AL). Ele respondeu que foi imparcial e que chegou a invadir um celular registrado com o nome do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mas que não tinha nada no dispositivo.

Delgatti ficou conhecido em 2019 por ter invadido celulares e vazado mensagens atribuídas a Sergio Moro e a integrantes da Operação Lava Jato. No início deste mês, o hacker voltou a ser preso pela invasão de sistemas da Justiça para inclusão de mandado falso de prisão contra o ministro Alexandre de Moraes, do STF. Em depoimento ontem à PF, Delgatti disse que recebeu R$ 40 mil da deputada Carla Zambelli para fazer o serviço.

*AE

Leia também1 Silvana, mãe de Larissa Manoela, se abre sobre acusações da filha
2 Estadão compara Flávio Dino a "animador de auditório"
3 Relatora da CPMI do 8/1 prevê que Bolsonaro deve ser indiciado
4 Fernando Haddad nega desgaste com Lira: "Tudo resolvido"
5 Justiça determina que governo de SP volte a usar livros do MEC

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.