Leia também:
X Por que o Outubro Rosa é importante? Entenda

MPF denúncia empresários e políticos por fraudes na Caixa

Grupo irá responder pelos crimes de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro

Henrique Gimenes - 05/10/2018 18h51

Denúncias envolvem fraudes na Caixa Econômica Federal Foto: Fotos Públicas/Rodrigues Pozzebom

Nesta sexta-feira (5), o Ministério Público Federal (MPF) apresentou quatro denúncias contra 18 pessoas e cinco empresas. Os processos tratam da liberação de empréstimos da Caixa Econômica Federal e do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS).

A peças estão no âmbito da operação Cui Bono. Entre os denunciados estão o ex-deputado federal Eduardo Cunha, os ex-ministros Henrique Eduardo Alves e Geddel Vieira Lima, o operador úcio Funaro e o ex-vice-presidente da Caixa, Fábio Cleto.

Eles irão responder pelos crimes de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Além disso, o MPF ainda solicitou que seja ressarcido mais de R$ 3 bilhões em multas.

Foram denunciados ainda Alexandre Margotto, ex-auxiliar de Funaro; Altair Alves Pinto, apontado como operador de Eduardo Cunha; Eduardo Montagna de Assumpção; Henrique Constatino, sócio da Gol; Hugo Fernandes da Silva Neto, operador ligado a Funaro; José Carlos Grubisich Filho, ex-presidente da Eldorado Celulose; Marcos Antonio Molina dos Santos, executivo do Grupo Marfrig; Natalino Bertin, sócio do grupo Bertin; Reinaldo Bertin, sócio do grupo Bertin; Roberto Derziê, ex-vice-presidente da Caixa; Sidney Norberto Szabo, apontado como operador de Eduardo Cunha; Silmar Bertin, sócio do grupo Bertin; Wellington Ferreira da Costa, ex-assessor de Henrique Alves.

A denúncia do MPF foi enviada à 10ª Vara Federal de Brasília.

 

Leia também1 Esposa de Moro faz campanha nas redes por voto consciente
2 Feliciano: "Na política não se pode ter medo nem vergonha"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.