Leia também:
X Edson Fachin julgará pedidos de liberdade de Roberto Jefferson

Mourão sobre impeachment de ministros do STF: “Acho difícil”

Vice-presidente não vê chances de o pedido ser aceito pelo Senado

Monique Mello - 17/08/2021 11h20 | atualizado em 17/08/2021 11h52

Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão Foto: Foto: Romério Cunha VPR

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) comentou na segunda-feira (16) sobre a decisão do presidente Jair Bolsonaro de apresentar um pedido de impeachment contra os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso. Mourão avalia que a proposta será barrada no Congresso.

– Vamos ver o que acontece. Acho difícil o Senado aceitar – disse o general.

Para Mourão, Bolsonaro tem sua própria visão sobre a atuação dos ministros do STF.

– Ele [Jair Bolsonaro] considera que esses ministros estão passando dos limites em algumas decisões que têm sido tomadas, e uma das saídas dentro da nossa Constituição, no artigo 52, seria o impeachment, que compete ao Senado fazer. Então, ele vai pedir [isso] ao Senado – disse o vice-presidente.

Em relação à prisão preventiva do ex-deputado Roberto Jefferson, Mourão afirmou que Moraes poderia ter tomado “outra decisão”, pois Jefferson não seria uma “ameaça” à democracia.

– Acho que está extrapolando os limites disso porque, eu já comentei isso, se eu sou ofendido, o que que eu faço? Eu registro um boletim de ocorrência e abre-se um processo contra a pessoa que me ofendeu. Então, acho que esse é o caminho – declarou o vice-presidente.

Leia também1 Mourão confirma que se reuniu com Luís Roberto Barroso
2 Mourão sobre decisão de Moraes: "Mandar prender é complicado"
3 Fabio Faria liga para Alexandre de Moraes e cobra 'explicações'
4 Edson Fachin julgará pedidos de liberdade de Roberto Jefferson
5 Senadores acertam data para o encerramento da CPI da Covid

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.