Leia também:
X Moro: “Endurecimento contra o crime precisa ser seletivo”

Mourão recebe CUT e discute reforma da Previdência

Presidente da entidade, historicamente ligada ao PT, fez críticas ao modelo de capitalização

Henrique Gimenes - 07/02/2019 17h20 | atualizado em 07/02/2019 17h45

Vice-presidente, Hamilton Mourão Foto: Agência Brasil/Rodrigues Pozzebom

Nesta quinta-feira (7), o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, recebeu representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), para discutir a reforma da Previdência. O presidente da entidade, Vagner Freitas, levou críticas de sindicalistas sobre a proposta de capitalização.

A mudança no regime para a capitalização pode ser incluída no texto enviado ao Congresso pela equipe do ministro da Economia, Paulo Gudes. O modelo funciona como uma poupança que o próprio trabalhador faz para garantir a sua aposentadoria. Para o presidente da CUT, que é historicamente ligada ao PT, a mudança irá retirar direitos dos trabalhadores.

– Esse é um desenho que conhecemos, favorece o capital financeiro nacional e internacional, tira direitos de trabalhadores, não garante a aposentadoria e, mais que isso, impede que você tenha benefícios e assistência social – explicou.

A CUT solicitou uma audiência com Mourão durante a viagem do presidente Jair Bolsonaro à Suíça. De acordo com Vagner Freitas, o vice-presidente afirmou que qualquer mudança será discutida no Congresso. A entidade, no entanto, planeja uma assembleia nacional no próximo dia 20 para discutir alternativas à reforma da Previdência.

– Nós queremos organizar os trabalhadores para a resistência, porque os seus direitos estão sendo retirados (…) Não existe democracia sem que os trabalhadores tenham legislação que os protejam – ressaltou.

Leia também1 Guedes nega que Previdência irá mudar regras trabalhistas
2 Maia: "Objetivo é ter 320 votos na Previdência em 2 meses"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.