Leia também:
X “Sigo neste governo até o fim”, declara Hamilton Mourão

“Motociclistas não pagarão mais pedágio”, diz ministro Tarcísio

Chefe da pasta de Infraestrutura afirmou que as novas concessões já isentarão as motos

Pleno.News - 31/07/2021 16h01 | atualizado em 01/08/2021 08h04

Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas Foto: PR/Marcos Corrêa

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, fez neste sábado (31) uma defesa da isenção de pedágio para motocicletas no Brasil. Para um grupo de motoqueiros na cidade de Presidente Prudente, no interior de São Paulo, Tarcísio afirmou que, “a partir de agora, motociclistas não pagarão mais pedágio”.

O comentário foi feito em meio à aprovação, pelo Tribunal de Contas da União (TCU), do plano de concessão da Via Dutra (BR-116), que liga o Rio de Janeiro a São Paulo. Atualmente, o trecho é operado por uma empresa privada, o grupo CCR, mas o contrato vence no início do próximo ano, o que abre espaço para o governo realizar novo leilão.

O plenário do TCU também deu aval ao projeto do presidente Jair Bolsonaro de isentar o pedágio de motociclistas nos trechos concedidos. No evento deste sábado com motociclistas, Tarcísio afirmou que, em todas as concessões que forem realizadas a partir de agora, não haverá mais pedágio para as motos.

Tarcísio de Freitas e Bolsonaro participaram neste sábado de um passeio de motocicletas em Presidente Prudente, no interior de São Paulo. Nesta tarde, Bolsonaro visitou um hospital na cidade e se reuniu com prefeitos da região.

*AE

Leia também1 Pompeo e Luan Santana gravam juntos para o Criança Esperança
2 Rodrigo Silva se solidariza com pastor intimado por se opor à ideologia de gênero
3 "Sigo neste governo até o fim", declara Hamilton Mourão
4 Google é derrotado na Justiça, e entrevista de Hang segue no ar
5 Mulher é presa após dirigir por meses com corpos de sobrinhos no carro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.