Leia também:
X Fachin reitera convite a Forças Armadas para reunião no TSE

Moro: “STF perdeu legitimidade e força frente à opinião pública”

Para o ex-ministro, decisões da Corte acabaram enfraquecendo o "combate à corrupção”

Henrique Gimenes - 19/06/2022 16h18 | atualizado em 20/06/2022 14h47

Sergio Moro, ex-ministro da Justiça Foto: José Cruz/Agência Brasil

Para o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, o Supremo Tribunal Federal (STF) perdeu “força e legitimidade frente à opinião pública”. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, publicada neste domingo (19), o ex-juiz afirmou que decisões da Corte acabaram enfraquecendo o “combate à corrupção”.

Moro abordou o assunto ao falar sobre uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que pode anular decisões da Corte.

– Historicamente falando, os melhores momentos do STF foram o mensalão e durante a Lava Jato, quando ela era apoiada pelo Supremo. Depois, com a ressalva de que há ministros que sempre defenderam o combate à corrupção, decisões começaram a ser maiorias que enfraqueceram o combate à corrupção. O STF acabou perdendo força e legitimidade frente à opinião pública. Isso favorece a apresentação de propostas dessa espécie – destacou.

Durante a entrevista, o ex-ministro do governo Bolsonaro ainda criticou o ex-presidente Lula, que aparece em primeiro nas pesquisas eleitorais.

– Um grande erro. Um grande risco colocar alguém que foi condenado por corrupção em três instâncias e foi beneficiado por um erro judiciário numa posição dessa e com perspectiva de poder – apontou.

Leia também1 Candidato de esquerda fala em fraude nas eleições da Colômbia
2 Fachin reitera convite a Forças Armadas para reunião no TSE
3 Bolsonaro celebra 'kits de literatura familiar' e lembra dos 'kits do PT'
4 Chefe da Otan diz que guerra na Ucrânia pode durar anos
5 Luciano Szafir tem melhora e recebe nova alta de hospital

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.