Leia também:
X Governo assina contrato de concessão de 12 aeroportos

Moro diz que menos maconha está entrando no Brasil

Ministro também informou que o governo tem uma política mais dura contra as facções criminosas

Pedro Ramos - 06/09/2019 11h08

Mnistro Sergio Moro Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, destacou na última quinta-feira (5) que menos maconha está entrando no país e explicou qual estratégia para coibir a entrada de drogas no país.

– Maconha: maconha caiu a apreensão, mas isso tem uma explicação relativamente óbvia, porque nós intensificamos a chamada Operação Aliança com o Paraguai para erradicação das plantações de maconha naquele país. Como a maconha consumida no Brasil vem do Paraguai, isso acaba gerando aqui uma diminuição concomitante das apreensões nas estradas e nessas operações (policiais). E a erradicação da maconha nas plantações é muito mais eficiente – disse o ministro.

Em relação a sua opinião sobre a legalização da maconha, o responsável pelo Ministério da Justiça não quis opinar e falou que a política do governo é de combater as drogas.

– Não me interessa aqui a opinião sobre maconha, legalização. A política do governo é contra a legalização e, enquanto ela é criminalizada, evidentemente esses recursos vão para o crime organizado. E erradicar as plantações afeta as finanças do crime organizado, e isso é bastante importante – declarou o ministro.

Sobre o crime organizado, ele destacou que o governo tem uma política mais dura contra as facções.

– O governo adotou uma política dura em relação à criminalidade organizada. O que pode ser ilustrado pelo fato de que uma das primeiras medidas adotadas pelo governo federal, do presidente Jair Bolsonaro, juntamente com o governo do estado de São Paulo, foi: retirar de presídios estaduais as lideranças do maior grupo organizado do país. O pessoal às vezes tem medo de dizer o nome, mas não: é o PCC. Parece aqueles filmes do Harry Potter de que não pode falar o nome do grande vilão. Eu acho que a gente tem que dar o nome às coisas como elas são – informou Moro.

Leia também1 Bolsonaro agradece a hospital de MG: "Faz 1 ano que nasci"
2 Carlos Bolsonaro relembra um ano da facada contra o pai
3 Ministro da Educação chama Rede Globo de mentirosa

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.