Leia também:
X Criador do desafio da rasteira pede desculpas: “Eu errei”

Moro denuncia que PSOL foi contrário ao pacote anticrime

Declaração do ministro acontece após ofensas sofridas por ele na Câmara por deputado psolista

Paulo Moura - 13/02/2020 09h12 | atualizado em 13/02/2020 10h21

Sergio Moro participa de audiência na Câmara Foto: Câmara dos Deputados/Cleia Viana

Enfático, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, usou as redes sociais na manhã desta quinta-feira (13) para denunciar o posicionamento do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) na tramitação do pacote anticrime no Congresso Nacional. Segundo Moro, a pasta chegou a incluir propostas contra o crime organizado, como a que previa que milícias fossem classificadas como organizações criminosas, mas a legenda socialista reprovou todas.

– Não gosto deste jogo político. Mas verdades precisam ser ditas. No projeto de lei anticrime, propusemos que milícias fossem qualificadas expressamente como organizações criminosas. Propusemos várias outras medidas contra crime organizado. O PSOL, de Freixo/Glauber, foi contra todas elas – escreveu.

As críticas de Moro ao partido de esquerda acontecem após o episódio de ofensas e ataques contra ele, protagonizado pelo deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ). Durante uma audiência na Câmara, na quarta-feira (12), o parlamentar chamou o chefe da pasta de Segurança de “capanga de milícia”.

O ministro chegou a comentar em suas redes sociais, ainda na quarta, a confusão de que ele foi vítima, e lamentou a falta de educação por parte do parlamentar do Rio de Janeiro.

– Sou do tempo em que chamavam-se as pessoas de senhor e senhora e os erros dos outros de equívocos. Usava-se muito por favor ou por gentileza nas frases. Alguns infelizmente, ainda bem que de deputados a absoluta minoria, perderam muito da urbanidade – afirmou.

Leia também1 Apoiadores se unem e clamam por #MoroHeroiNacional
2 Moro agradece a Heleno por apoio após ofensas na Câmara
3 Moro rebate deputado do PSOL que o chamou de "capanga"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.