Leia também:
X MP investiga relação entre grupo criminoso e ‘direitos humanos’

Moraes quer parecer da PGR sobre afastar e prender Salles

Advogada pediu a prisão e o afastamento do ministro por suposta obstrução de investigações de uma operação da PF

Henrique Gimenes - 04/06/2021 20h10 | atualizado em 04/06/2021 20h58

Ministro do STF Alexandre de Moraes e o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles Arte: Pleno.News

Nesta sexta-feira (4), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), solicitou que a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifeste sobre um pedido de afastamento e prisão do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A ação trata de uma notícia de fato apresenta por uma advogada à Corte.

A notícia pediu a prisão em flagrante por uma suposta obstrução das investigações da Operação Akuanduba. A ação da Polícia Federal (PF) teve como alvo o ministro Salles e apurou uma tentativa de atuar em benefício a madeireiros ilegais na Amazônia.

Apresentada pela advogada Cibele Berenice Amorim, a notícia de fato citou uma reportagem do Jornal Nacional, da TV Globo, apontando que o ministro do Meio Ambiente não entregou seu aparelho celular à PF, o que teria descumprido determinação do ministro Alexandre de Moraes.

Além disso, a emissora falou em ocultação do telefone.

Em seu despacho, Moraes apontou que Salles ‘tem dever legal de cumprir ordens judicias de outros Poderes, incorreu, em tese, em tipos penais e de improbidade administrativa, visando obstruir a aplicação da lei penal e embaraçando a investigação de organização criminosa transnacional’.

Leia também1 Cármen Lúcia autoriza abertura de inquérito contra Salles
2 Casa Civil acata STF e suspende presidente do Ibama
3 Salles quer ser ouvido pela PGR para 'esclarecer fatos'
4 PGR pede ao STF abertura de inquérito contra Ricardo Salles
5 Marcelo Freixo apresenta ação na Justiça para afastar Salles

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.