Leia também:
X Defensoria quer que hospitais militares recebam civis

Moraes nega pedido da PGR para ‘banir’ Danilo Gentili do Twitter

Ministro do STF afirmou que o humorista não tem prerrogativa para julgado pelo Supremo

Henrique Gimenes - 07/04/2021 15h28

Ministro Alexandre de Moraes negou pedido da PGR para banir Danilo Gentili do Twitter Foto: Arte/Pleno.News

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pela segunda vez um pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) para banir o apresentador Danilo Gentili do Twitter. O caso em questão trata de uma publicação feita por Gentili em suas redes sociais.

Em sua decisão, Moraes afirmou que Gentili não possui prerrogativa para julgado pelo Supremo.

O processo começou após o humorista sugerir, em sua conta do Twitter, que a população fosse ao Congresso “e socasse todo deputado”. O comentário foi feito no final de fevereiro por Gentili após a Câmara discutir a PEC da Imunidade.

Na época, a Câmara chegou a pedir que Danilo Gentili foi preso com base na Lei de Segurança Nacional (LSN). A PGR, no entanto, entendeu que o apresentador não poderia se enquadrado no dispositivo, mas que poderia entrar no inquérito que trata de atos antidemocráticos.

Com isso o processo foi enviado a Moraes com um pedido, por parte de PGR, de medidas cautelares contra Gentili, como a “proibição de frequentar redes sociais apontadas como meios da prática dos crimes ora sob apuração; proibição de se aproximar menos de um quilômetro da Câmara dos Deputados; proibição de mobilizar, organizar ou integrar manifestações de cunho ofensivo a qualquer dos Poderes da República, ou de seus integrantes; proibição de ausentar-se da Comarca de sua residência sem autorização judicial”.

Em sua decisão, Moraes afirmou que “conforme já ressaltado, o requerido Danilo Gentili Júnior não possui prerrogativa de foro perante o Supremo Tribunal Federal. Diante disso, encaminhe-se os autos ao douto Procurador-Geral da República para que justifique a apontada conexão, que teria o condão de manter a investigação perante essa Corte”.

Leia também1 STF: Barroso critica decisão de Nunes Marques sobre cultos
2 Joaquim Barbosa articula oposição a Bolsonaro em 2022
3 Série sobre caso Richthofen pode ser censurada pelo STF. Entenda!
4 Novo ministro da Justiça indica Paulo Maiurino para chefiar PF
5 Marco Aurélio: “O novato está assanhado, está se sentindo”

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.