Leia também:
X Damares quer restringir horário da CPI: “Sessão de horrores”

Moraes manda agência detalhar gerenciamento de redes do PTB

Ministro estipulou prazo de cinco dias

Pleno.News - 29/09/2021 18h49 | atualizado em 30/09/2021 11h41

Ministro Alexandre de Moraes, do STF Foto: STF/Rosinei Coutinho

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu cinco dias para a agência de comunicação responsável pela assessoria do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) apresentar notas fiscais dos serviços de gerenciamento e monitoramento de redes sociais prestados à sigla.

De acordo com o despacho, a empresa deve enviar também uma “descrição minuciosa” dos trabalhos acompanhada de cópias do material produzido.

A ordem foi dada a partir de um pedido da Corregedoria do Tribunal Superior Eleitoral, que apura se o ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente da legenda, usou a estrutura do PTB e recursos do fundo partidário para disparar notícias falsas e atacar instituições democráticas nas redes sociais.

Moraes também pediu à Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro que apresente um relatório completo do monitoramento eletrônico do ex-deputado, que está internado em um hospital particular na Zona Oeste da capital fluminense.

Investigado nos inquéritos das fake news e das milícias digitais, Roberto Jefferson foi preso preventivamente em agosto e denunciado em seguida pela Procuradoria-Geral da República por incitação ao crime, homofobia e calúnia contra o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

*AE

Leia também1 Roberto Jefferson passa por cirurgia de cateterismo no Rio
2 Jefferson compara Moraes a saco de 'excremento': 'Abominável'
3 Partido de Jefferson apresenta proposta de filiação a Bolsonaro
4 No Rio, Roberto Jefferson será submetido a cateterismo
5 PGR pede conversão da prisão de Jefferson para domiciliar

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.