Leia também:
X Salles: “Os idiotas de esquerda preferem bater no Bolsonaro”

Moraes exige laudo médico para transferir Jefferson a hospital

Defesa pediu ao ministro do STF que autorize a transferência do ex-deputado

Henrique Gimenes - 03/09/2021 17h04 | atualizado em 03/09/2021 18h00

Ministro Alexandre de Moraes exigiu laudo médico para autorizar transferência de Roberto Jefferson para hospital Foto: Arte/Pleno.News

Em despacho desta quinta-feira (2), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), exigiu que a defesa do ex-deputado Roberto Jefferson apresente um laudo médico para ele autorizar a transferência do presidente nacional do PTB para um hospital.

Roberto Jefferson está preso em Bangu 8, no Rio de Janeiro, desde o dia 13 de agosto. Na segunda-feira (30), ele passou mal e desmaiou na cela. O ex-deputado então foi levado a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde foi medicado. Neste sexta-feira (3), ele voltou a passar mal e teve que ser levado à unidade de saúde novamente.

Após o primeiro episódio, a defesa do ex-deputado solicitou que ele fosse transferido para o hospital particular Samaritano, em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro. Mas, em seu despacho, Moraes solicitou dos advogados que apresentem um laudo médico detalhado em um prazo de 48 horas.

Nesta semana, o ministro chegou a negar um pedido de Roberto Jefferson e decidiu manter a prisão dele. A medida fez a defesa do ex-deputado cogitar acionar a Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Moraes, alegando que ele cometeu crime de tortura.

Leia também1 Defesa de Roberto Jefferson pede transferência para hospital
2 Roberto Jefferson sente dores no peito e volta a ser internado
3 Jefferson acionará a PGR contra Moraes pelo crime de "tortura"
4 Roberto Jefferson é condenado a pagar R$ 50 mil a Moraes
5 Filha de Jefferson afirma que Moraes age como um psicopata

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.