Leia também:
X Governo zera imposto para exportação de armas e munições

Ministro rebate Lula: “Seu Brasil era o da lista da Odebrecht”

Gilson Machado respondeu acusação do ex-presidente de que o atual líder "não conversa com ninguém"

Paulo Moura - 27/07/2021 15h10 | atualizado em 27/07/2021 16h35

Gilson Machado e Jair Bolsonaro Foto: Embratur/Pablo Peixoto

O ministro do Turismo, Gilson Machado, rebateu nesta terça-feira (27) um ataque feito pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao presidente Jair Bolsonaro.

Em entrevista à Rádio Difusora Pai Eterno, de Goiás, o líder petista acusou o atual chefe do Executivo de não conversar “com ninguém”, o que, segundo ele, era diferente em sua gestão.

– Eu nunca fui presidente de mim mesmo. Era presidente do Brasil. Eu tinha um conselho que incluía desde o sem terra ao fazendeiro. E ouvia todo mundo. Hoje temos um presidente que não conversa com ninguém. Isolado. O que nós precisamos é de um presidente civilizado, humanista – disse Lula.

A resposta veio logo na sequência, em uma publicação de Machado no Twitter. Na postagem, o ministro afirmou que o Brasil que o petista governava era o “da lista da Odebrecht e dos diálogos cabulosos”, em referência às investigações da Operação Lava Jato que atingiram o petista.

– O Brasil para o qual você governava não era o Brasil dos que sofrem com a criminalidade, que você fortaleceu ao desarmar a população, e que são afetados pela corrupção, que você elevou a proporções inéditas. O seu Brasil era o Brasil da lista da Odebrecht e dos diálogos cabulosos – escreveu Machado.

Leia também1 Zileide Silva quebra protocolo e revela ao vivo que teve câncer
2 Restaurante bate recorde com batata-frita mais cara do mundo
3 Governo zera imposto para exportação de armas e munições
4 Apoio popular ao voto auditável sobe para 46%, aponta pesquisa
5 Justiça do RJ rejeita 4º recurso do PSOL contra Carlos Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.