Leia também:
X Fundador do Rei do Mate morre aos 87 anos, em São Paulo

Ministro do Turismo toma posse e faz apelo contra lockdowns

Gilson Machado disse que o setor não aguenta mais novas medidas do tipo

Pleno.News - 17/12/2020 16h20 | atualizado em 17/12/2020 17h03

Ministro do Turismo, Gilson Machado Foto: Isac Nóbrega/PR

Nesta quinta-feira (17), o novo ministro do Turismo, Gilson Machado, tomou posse no cargo. Durante a cerimônia no Palácio do Planalto, ele fez um apelo aos governantes para que não decretem um segundo lockdown e afirmou que o setor de Turismo não aguentaria novas medidas do tipo.

Gilson Machado citou o caso ocorrido em Búzios, que adotou um lockdown após determinação da Justiça.

– Presidente, eu não posso [deixar] de aproveitar esse momento para fazer um apelo. Tivemos um exemplo hoje de Búzios, [cidade] que foi fechada sem aviso. Se eu não me engano, por uma decisão monocrática, de primeira instância. Não foi [decisão] nem do prefeito nem do governo. O trade [turístico] não aguenta a decretação de um segundo lockdown – ressaltou.

O ministro do Turismo também fez um apelo contra o lockdown ao governador de Pernambuco, Renan Filho, que esteve na cerimônia de posse.

– Eu faço um apelo ao senhor, governador: não decrete lockdown. Eu fiz um apelo ao governador de Pernambuco, Paulo Câmara, antes de ontem. Ele gravou um vídeo comigo dizendo que não vai haver lockdown em Pernambuco. O nosso trade não aguenta mais. O empresário turístico, que gera emprego e renda, tem hoje mais medo de um decreto do que da própria doença – ressaltou.

Leia também1 Covid: Pazuello prevê 24 milhões de doses de vacinas em janeiro
2 'Se Deus quiser', Rio começa a vacinar em janeiro, diz Paes
3 Profissional de saúde foi para UTI ao receber vacina da Pfizer
4 STF: Relator defende medida restritiva para obrigar vacinação
5 Veja a íntegra do plano nacional de vacinação contra a Covid-19

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.