Leia também:
X No Rio Grande do Sul, prefeito é esfaqueado dentro de prefeitura

Ministro Barroso fala em “regulação” das redes sociais

Para o presidente do TSE, as redes não podem servir à destruição da democracia

Pleno.News - 22/11/2021 19h47 | atualizado em 23/11/2021 10h00

Ministro Luís Roberto Barroso, do STF Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Nesta segunda-feira (22), durante a abertura da sexta edição do Teste Público de Segurança (TPS), o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), falou sobre a “importância” da regulação das redes sociais. Para ele, a medida é necessária para se preservar a democracia.

Barroso citou como exemplos de medidas a desmonetização de sites e grupos que disseminam fake news e a aplicação de medidas jurídicas.

– Uma coisa é criticar as urnas. Outra é ter grupos financiando ataques às urnas visando descredibilizá-las. Quanto a isso, pode haver providências de natureza criminal, e o TSE conseguiu promover a desmonetização desses sites – apontou.

O ministro também disse que as redes sociais são importantes no mundo atual e que, por isso, é preciso tomar providências contra quem afronta a democracia.

– O que se descobriu é que mentira, ódio, sensacionalismo geram mais engajamento do que um discurso razoável, racional. Isso causa um incentivo ruim porque gera mais receita. Todo mundo está procurando uma forma de regulação das mídias sociais que não interfira na democracia, mas que não sejam instrumentos de destruição da democracia – ressaltou.

Leia também1 Presidente Bolsonaro diz que a "direita ainda não existe"
2 Justiça manda Freixo apagar 'ataque' contra Flávio Bolsonaro
3 Moraes contraria CPI da Covid e nega quebrar sigilo de Bolsonaro
4 Bolsonaro diz que Luiza Trajano perdeu R$ 30 bi após apoiar Lula
5 Mendonça convoca evangélicos para garantir votos no Senado

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.