Leia também:
X PGR irá pedir ao STF abertura de inquérito contra Milton Ribeiro

Milton Ribeiro liga para senador e acerta ida ao Congresso

Ministro deve ser ouvido pelo colegiado na próxima terça-feira

Pleno.News - 23/03/2022 16h09 | atualizado em 23/03/2022 16h27

Ministro da Educação, Milton Ribeiro
Ministro da Educação, Milton Ribeiro Foto: PR/Isac Nóbrega

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, ligou na manhã desta quarta-feira (23), para o presidente da Comissão de Educação do Senado, Marcelo Castro (MDB-PI), e acertou sua ida ao colegiado na próxima terça (29). Senadores querem explicações sobre suposta atuação de pastores na agenda e na liberação de verbas na pasta.

A comissão deve votar um requerimento nesta quinta-feira (24), para convocar o ministro a prestar esclarecimentos. Diante do movimento, o chefe da pasta se antecipou ao concordar com a ida ao Congresso, o que pode transformar a votação em um convite.

– O ministro da Educação, Milton Ribeiro, me ligou hoje pela manhã para se colocar à disposição para prestar esclarecimentos na CE. Na reunião desta quinta (24), irei colocar os requerimentos em votação e vou propor ao colegiado que o ministro seja ouvido na próxima terça – escreveu Marcelo Castro.

O caso motivou uma série de críticas ao ministro na sessão de terça-feira (22), no plenário do Senado. Os parlamentares cobram uma investigação da atuação do ministério e dos pastores.

– Recursos públicos não podem ser tratados com essa leviandade ou leveza toda – afirmou Marcelo Castro, no plenário.

*Com informações da AE

Leia também1 Ministro da Educação explica áudio e diz que segue no cargo
2 Bancada evangélica cobra explicações de Milton Ribeiro
3 PGR irá pedir ao STF abertura de inquérito contra Milton Ribeiro
4 Deputado quer investigar o Ministério da Educação em CPI
5 Mourão defende Milton Ribeiro, mas cobra esclarecimentos

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.