Leia também:
X Petista ‘ameaça’ Braga Netto de prisão por apoiar voto auditável

Maria do Rosário vai à PGR por impeachment de Milton Ribeiro

Pedido da deputada tem por base declarações do ministro da Educação sobre alunos com deficiência

Pleno.News - 17/08/2021 17h51 | atualizado em 17/08/2021 18h06

Deputada federal Maria do Rosário Foto: Agência Câmara/Lucio Bernardo Jr

Nesta terça-feira (17), a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) decidiu acionar a Procuradoria-Geral da República para pedir o impeachment do ministro da Educação, Milton Ribeiro. O pedido tem por base uma declaração do ministro ao programa Sem Censura, da TV Brasil. A informação foi dada pelo colunista Guilherme Amado, do portal Metrópoles.

Durante o programa, Milton Ribeiro afirmou que alunos com deficiência “atrapalhavam” as aulas devido ao fato de os professores não terem preparo para dar a eles uma “atenção especial”.

– O que é inclusivismo? A criança com deficiência é colocada dentro de uma sala de alunos sem deficiência. Ela não aprendia, ela “atrapalhava” – entre aspas, essa palavra eu falo com muito cuidado – ela atrapalhava o aprendizado dos outros, porque a professora não tinha equipe, não tinha conhecimento para dar a ela atenção especial. E assim foi. Eu ouvi a pretensão dessa secretaria e faço alguma coisa diferente para a escola pública. Eu monto sala com recursos e deixo a opção de matrícula da criança com deficiência à família e aos pais. Tiro do governo e deixo com os pais – afirmou o ministro.

A fala ocorreu durante a edição do Sem Censura do dia 9 de agosto e gerou polêmica nas redes sociais.

Devido às declarações, Maria do Rosário decidiu acionar a PGR por considerar que Milton Ribeiro cometeu crime de responsabilidade. Para ela, as falas “violam diretamente a proteção constitucional ao direito social à educação, assim como os fundamentos do Estado Democrático de Direito, da cidadania e dignidade da pessoa humana”.

A deputada ainda apontou que o ministro teria mostrado “preconceito, discriminação e elitismo” e ainda defendeu que ele seja impedido de assumir cargos públicos por oito anos.

Leia também1 Petista 'ameaça' Braga Netto de prisão por apoiar voto auditável
2 STF manda governo garantir 2ª dose de vacinas a São Paulo
3 FGTS: Veja quanto você receberá com a distribuição de R$ 8,1 bilhões
4 CPI da Covid quer enquadrar Bolsonaro por documento falso
5 STF manda devolver passaporte a condenado no Mensalão

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.