Leia também:
X Lula e Aziz, ex-presidente da CPI da Covid, combinam encontro

Marcelo Queiroga diz que dados não serão perdidos após ataque

Ministro afirmou que a pasta de Saúde possui todos os dados invadidos pelos hackers

Pleno.News - 10/12/2021 13h00 | atualizado em 10/12/2021 13h15

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga Foto: MS/Walterson Rosa

A Polícia Federal (PF) e o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) foram acionados, nesta sexta-feira (10), para investigar o ataque hacker sofrido pelo Ministério da Saúde na madrugada. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que os dados não serão perdidos e que atua para restabelecer o sistema.

– É um prejuízo muito grande. São pessoas criminosas. Nós esperamos encontrá-las e punir exemplarmente. Mas esses dados não serão perdidos. O Ministério da Saúde tem todos os dados. É só uma questão de resgatar esses dados e colocá-los à disposição da sociedade – afirmou o ministro à TV Globo em Belo Horizonte, onde cumpre agenda oficial.

A invasão tirou do ar dados de vacinação contra a Covid-19 de usuários que acessam a plataforma Conecte SUS.

Em Minas Gerais, onde visitou hospitais, Queiroga afirmou ainda que o “empenho total é para esses dados estarem disponíveis no mais curto prazo possível”.

O site do Ministério da Saúde foi invadido durante a madrugada e saiu do ar. Além do ConecteSUS, plataformas como o e-SUS Notifica e o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI) também foram atingidas. Um grupo identificado como Lapsus$ Group assumiu a autoria do ataque cibernético.

*AE

Leia também1 Lula e Aziz, ex-presidente da CPI da Covid, combinam encontro
2 Atriz da Globo cancela peça em teatro que recebeu Sergio Moro
3 Boate Kiss: Advogada de defesa usa carta psicografada de vítima
4 Covid: Desvio de verbas da União pode chegar a R$ 300 milhões
5 Bolsonaro diz que Caiado mente sobre o preço dos combustíveis

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.