Leia também:
X Em menos de 20 anos, Sarampo volta a matar bebês no Amapá

Malafaia expõe Calheiros por não querer diretor da PF na CPI

Pai de governador, Renan negou pedido que poderia ajudar na investigação de estados e municípios

Pleno.News - 14/05/2021 18h15 | atualizado em 14/05/2021 18h23

silas malafaia e renan calheiros colagem
Malafaia expõe Calheiros por não querer diretor da PF na CPI Foto: Colagem Pleno News

O senador Eduardo Girão propôs nesta quinta-feira (13) ao relator da CPI da Covid, Renan Calheiros, a convocação de depoimento do diretor da Polícia Federal, Paulo Maiurino. O objetivo é que o delegado pudesse falar sobre o andamento de investigações acerca de desvios de recursos públicos em estados e municípios durante a pandemia.

Renan Calheiros, contudo, se opôs utilizando o falso argumento de que um diretor da Polícia Federal nunca foi convocado para uma Comissão Parlamentar de Inquérito.

– Pela primeira vez na história das Comissões Parlamentares de Inquérito [se] convocaria um diretor geral da PF. Ou seja, é uma tentativa de convocar uma instituição respeitável do país para depor numa CPI – disse o relator.

Girão sugeriu então que fosse feito apenas um convite, mas ouviu de Calheiros que essa seria uma “coisa muito séria para se pedir pra colocar extra pauta”.

O relator leu uma recomendação do Procurador-Geral da República, Augusto Aras, dizendo que convocar a subprocuradora-geral, Lindôra Araújo, representaria uma “afronta ao Ministério Público sem precedentes na história do Brasil”.

– O Supremo, membros do Ministério Público, juízes serem convocados a prestar depoimento sobre atividade-fim – argumentou Calheiros.

Todavia, conforme aponta o pastor Silas Malafaia em vídeo sobre o assunto nas suas redes sociais, no ano de 2008, o diretor-geral da PF Luiz Fernando Corrêa foi convocado para a CPI das Escutas Clandestinas, assim como o diretor afastado da Abin, Paulo Lacerda. Na mesma época, a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou convite para que o até então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes prestasse depoimento.

Ainda durante a sessão, o senador Eduardo Girão protestou e revelou os prováveis motivos por trás da negação de Calheiros.

– Não existe em nenhum local dizendo na Constituição que não pode vir. Não tem precedentes. Mas essa CPI , da forma que ela começou, com o conflito de interesse flagrante do senhor com relação ao filho [de Renan Calheiros, governador do Alagoas] que a gente tem colocado aqui. Se a gente não for olhar para gestores municipais e estaduais, essa CPI que já caiu no descrédito do povo brasileiro fica totalmente sem sentido. A gente tem o direito de convidar – insistiu o senador.

Girão finalizou dizendo que foi impedido de “buscar a verdade” para o povo brasileiro.

– Aqui é querer buscar a verdade para o povo brasileiro e não estão querendo deixar a gente buscar.

Leia também1 FHC volta a dizer que votaria em Lula contra Bolsonaro
2 Queiroga afirma que irá se for chamado de novo à CPI da Covid
3 Bolsonaro ironiza CPI da Covid e dispara: 'Obrigado, Renan’
4 Maioria do STF vota a favor de realizar Censo apenas em 2022
5 CPI: Renan vai ao STF para tentar 'impedir' Pazuello em silêncio

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.