Leia também:
X No Ceará, bandido é atropelado e agredido após assaltar farmácia

Maia não aceitou impeachment porque Bolsonaro sairia ‘maior’

Para o deputado, presidente seria o 'vencedor' do processo

Henrique Gimenes - 08/02/2021 16h39 | atualizado em 08/02/2021 18h24

Maia não aceitou impeachment porque Bolsonaro sairia maior Foto: PR/Marcos Corrêa

Durante a entrevista dada ao jornal Valor Econômico, publicada nesta segunda-feira (8), o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), explicou o motivo para não ter aceitado nenhum pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Para ele, não havia as “condições políticas” certas, e isso só “fortaleceria” Bolsonaro.

A resposta foi dada ao ser questionado pelo veículo se não havia algum arrependimento por não ter aceitado nenhum dos pedidos de impeachment.

– O julgamento do impeachment é político, e as condições políticas não estão colocadas. Querendo ou não, Bolsonaro tem 30% de ótimo/bom e 40% de ruim/péssimo. A abertura de um impeachment, em um momento em que as condições políticas não estão colocadas, só o fortaleceria. Tiraríamos da agenda a pandemia e colocaríamos o impeachment – apontou Maia.

Para o deputado, Bolsonaro sairia “vencedor” do processo.

– A gente ia jogar para segundo plano a responsabilidade do presidente e do seu ministro da Saúde por todo o desastre na administração dessa crise, por todas as mortes, e íamos ficar todos discutindo um processo [de] que ele provavelmente sairia vencedor e fortalecido do ponto de vista político – ressaltou Maia.

Leia também1 Bolsonaro sobre impeachment: “Querem botar quem no lugar?”
2 Rodrigo Maia está sendo péssimo perdedor, afirma ACM Neto
3 Maia tem 'ansiedade de poder' e 'falta de caráter', dispara Caiado
4 Doria se reuniu com Maia e o convidou para o PSDB, diz jornal
5 Maia aponta "traição" e confirma que vai sair do Democratas

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.