Leia também:
X PF cumpre mandados contra suspeitos de divulgar pornografia infantil

Maia diz que Lula é favorito em 2022 e se propõe a ajudá-lo

Parlamentar considera aproximação como um "aceno necessário"

Thamirys Andrade - 03/07/2021 16h06 | atualizado em 03/07/2021 17h29

Ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Arte: Pleno.News

Ao avaliar as possibilidades para as eleições de 2022, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia afirmou que considera ajudar Luiz Inácio Lula da Silva no pleito. O parlamentar classificou a aproximação como um “aceno necessário”, e disse que o petista é o favorito nas próximas eleições.

– Esse tipo de aproximação é um aceno necessário nos tempos atuais: todos no campo democrático devem conversar. Lula está praticamente no segundo turno, é favorito em 2022 e nós, do centro liberal, não podemos ficar de fora, precisamos tratar do futuro do país. As instituições provaram resiliência contra o autoritarismo do governo Bolsonaro, mas podem vir a se enfraquecer na hipótese de um segundo mandato – declarou em entrevista à Revista Veja.

O parlamentar relembrou o encontro recente que teve com o ex-presidente, e declarou ter grande interesse em discutir os rumos do país com o petista.

– Foi um bom encontro, com a presença do prefeito do Rio, o Eduardo Paes. Disse ao Lula que tenho grande interesse em conversar com ele sobre o Brasil. Acumulei experiência e conto com pessoas no meu entorno que também podem cooperar. Eu me aproximei da esquerda já durante o segundo mandato de Dilma Rousseff, para dar força à pauta econômica. Depois da queda do Eduardo Cunha, o PT me apoiou para conquistar a presidência da Câmara.

De acordo com Maia, Lula gostou da conversa entre os dois, mas não sabe se isso de fato culminará em uma aliança. Quando questionado se iria adiante caso fosse do interesse do Partido dos Trabalhadores, Maia disse que sim.

– Claro que eu vou. Acho que consigo coordenar um grupo de pessoas qualificadas. Pode ser no PSD, no PSDB ou até contribuindo com o pessoal do PT.

Leia também1 STF: Nunes Marques vota contra transferir Adélio para Minas
2 PF indicia Renan por corrupção passiva e lavagem de dinheiro
3 Flordelis recorre à CCJ contra cassação de mandato
4 Justiça aceita denúncia contra suspeitos de hackear TRF-3
5 Voto impresso auditável tem maioria favorável em comissão

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.