Leia também:
X Bolsonaro: “Previdência será votada nos primeiros 6 meses”

Magno Malta diz não guardar mágoa e entender Bolsonaro

"É um sujeito honrado, de caráter, continua sendo meu amigo", disse sobre o futuro presidente

Ana Luiza Menezes - 05/12/2018 16h11 | atualizado em 05/12/2018 16h40

Magno Malta continua orando por Jair Bolsonaro Foto: Arte/Pleno.News

Em entrevista a um jornal carioca, o senador Magno Malta (PR) falou sobre sua amizade com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Diante das especulações sobre um possível abalo entre os dois, Magno afirmou que não guarda mágoa por não ter sido escolhido para ocupar um cargo de ministro no próximo governo.

– Minha vida não depende de Bolsonaro. Depende de Deus. Eu continuo orando para que Deus dê a ele a chance de fazer um país diferente – declarou ele.

As declarações foram divulgadas nesta quarta-feira (5) pelo jornal O Globo. Malta revelou ainda de apesar do apoio que deu a Bolsonaro, nunca houve promessa ou acordo de que ele seria indicado a algum ministério.

– Nós tínhamos uma missão. E a missão foi cumprida. Ela se encerrou dia 28 (de outubro, data do segundo turno). Cumprimos juntos uma missão de livrar o país desse viés ideológico. Sempre acreditei que o homem era ele. Briguei e lutei. É um sujeito honrado, de caráter, continua sendo meu amigo. E eu estava ali em oração. Ele não tem obrigação de me dar ministério ou emprego -avaliou.

Magno também mostrou compreensão e apoio ao futuro presidente.

– Expectativa (de ser ministro) é uma coisa. Mas esse país tem 208 milhões de habitantes. Posso entender o fardo que ele está vivendo agora, sentado ali, enfrentando a velha política, tentando estabelecer um novo modelo, com críticas aqui e ali – disse.

No próximo ano, Malta viverá uma nova fase provavelmente longe da política. Ele revelou que planeja fazer palestras e se dedicar à carreira de cantor.

– Vou viajar o país inteiro. Fazer palestra. Tenho uma luta contra abuso de criança, pedofilia, minha marca está aí. Vou continuar fazendo palestra, cantando. Tenho 41 anos de carreira. Tenho 28 CDs gravados. Vivi sempre da minha música – contou.

Leia também1 Bolsonaro: "Previdência será votada nos primeiros 6 meses"
2 Moro: "Funai pode permanecer no Ministério da Justiça"

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.