Leia também:
X TSE define hackers que testarão segurança das urnas eletrônicas

Lula fará turnê pela Europa em busca de alianças anti Bolsonaro

Petista passará por quatro países

Monique Mello - 31/10/2021 17h13 | atualizado em 01/11/2021 13h16

Ex-presidente Lula Foto: EFE/ Carlos Ezequiel Vannoni

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) irá à Europa para encontrar alguns dos principais líderes de países europeus. De acordo com informações da coluna de Jamil Chade, no UOL, o petista quer reforçar a ideia de que o “Brasil não é Bolsonaro”.

Na viagem pelo continente europeu (que durará 10 dias), Lula passará por quatro países: Alemanha, Bélgica, França e Espanha.

Na Alemanha, o ex-presidente se encontrará com sindicalistas e com o SPD, partido de centro-esquerda. Na Bélgica, o encontro será com o bloco social-democrata do Parlamento Europeu.

Na França, Lula encontrará a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, candidata à presidência no país.

No último destino, a Espanha, Lula se encontrará com as lideranças do Partido Socialista.

Ainda de acordo com o colunista, Lula pretende mostrar no exterior que o Brasil é “maior” que o atual presidente no poder.

Em uma pesquisa mais recente de intenção de votos para as eleições presidenciais de 2022, divulgada na última quarta-feira (27) pelo site Poder360, indicou que o atual presidente, Jair Bolsonaro, venceria em mais regiões do Brasil do que o ex-presidente Lula, caso as eleições ocorressem no cenário atual. A apuração foi realizada pela Poder Data, divisão de pesquisas do Poder360.

Leia também1 Aos gritos de mito, Bolsonaro é ovacionado pelo povo em Roma
2 Bolsonaro se reúne com Tedros, diretor-geral da OMS no G20
3 À TV italiana, Bolsonaro avalia seu governo: 'Milagre que salvou o Brasil'
4 Michelle compartilha montagem de Bolsonaro como o Superman
5 Bolsonaro publica vídeo com populares nas ruas da Itália

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.